O que esperar da Xiaomi Mi Band 4 e quando deve ser lançada?

Começam a surgir as primeiras imagens e especulações da pulseira inteligente da empresa chinesa

Pulseiras inteligentes são realmente úteis e são com certeza uma forte tendência, com alguns modelos delas é possível realizar pagamentos com NFC, monitorar batimentos cardíacos, contar a quantidade de passos dados, calorias gastas e outras personalizações ao conectar com o smartphone. Na pior das hipóteses, você pode utilizá-la para ver as horas.

Entre as pulseiras mais aguardadas de 2019 está a da Xiaomi, por trazer essas funcionalidades e ter a proposta de ser bastante acessível, na casa dos R$ 150, a Mi Band 4. Comento abaixo o que sabemos sobre ela até agora e quando deve chegar no mercado.


Xiaomi Mi Band 4

Ao que tudo indica, a Xiaomi Mi Band 4 chega na metade do ano em duas versões,

Continua depois da publicidade

assim como vimos na Mi Band 3, provavelmente com especificações idênticas com a diferença de uma delas ter suporte ao pagamentos com NFC.

Uma das mudanças da pulseira é que ela deve vir com Bluetooth 5.0, uma tecnologia de conexão mais atual, essa versão utiliza menos bateria e melhora a conexão com o dispositivo. O registro dela no órgão fiscalizador do Bluetooth listou as pulseiras e também um outro de Taiwan conhecido como NCC. Nesse segundo foi possível ver os dois códigos da pulseira, conforme contamos nesta notícia.


Continua depois da publicidade

Nessa listagem dos testes da NCC também vimos as primeiras imagens do gadget, ainda que desligado e em algumas delas aberta.

Com a modificação para o Bluetooth 5.0 deve liberar um pouco de bateria paro o dispositivo ter tela colorida, algo que foi indicado em alguns rumores. No nosso comparativo da Xiaomi Mi Band 3 com a Huawei Honor 4, foi concluído que ter uma tela um pouco maior com cores pode ser algo mais atrativo do que ter uma bateria capaz de durar cerca de 20 dias, como é o caso da Mi Band 3.

Na parte do visor, se levarmos em consideração as imagens vazadas, que podem ou não serem as de um modelo definitivo, a tela do gadget não deve ter um design muito diferente. O mesmo acontece com o resto do corpo da pulseira, ela se parece bastante com o modelo atual. 

14/11/2018 às 15:05
Análise

Análise: Xiaomi Mi Band 3 [+update]

Vestível segue imbatível como a melhor opção de entrada do mercado (quando traduzirem para o português)

Mas, se repararmos bem, parece que terá uma diferença significante na interação da pulseira. No canto inferior da tela da Band 3 tem um pequeno círculo que serve para selecionar as opções. Já no que parece ser o modelo 4, não vemos esse círculo.

Na Mi Band 3 você pressiona ele por alguns segundos para confirmar a seleção e isso não é tão interessante, às vezes você está com um pouco de pressa e ter que esperar ela confirmar que é isso mesmo que você quer é um pouco incômodo.

Outra solução seria um botão, mas daí ele pode estragar e acabar gerando problemas de manutenção. Talvez apenas tirar a longa confirmação já resolva o caso, mas vamos ter que esperar para ver o que será decidido na parte de software, que deve trazer muitas diferenças.

Os rumores também estão indicando que ela deve perder cerca de um ou dois dias de autonomia. Isso seria explicado pela tela colorida, algumas peças mais potentes e também pela chegada de um ECG, eletrocardiograma.

Esse ECG daria mais precisão na leitura e monitoramento do coração, e seria um dos maiores destaques da pulseira. Quando o Apple Watch Series 4 chegou, essa foi um dos maiores diferenciais do dispositivo, que chegou por um preço alto. Com a precisão do ECG, é possível ter mais precisão na leitura geral dos exercícios físicos e até ajudar a detectar doenças cardíacas.

Com o Apple Watch Series 4 custando cerca de R$3500, se a Xiaomi conseguir incluir um bom ECG, com certeza irá atrair muitos compradores.

Aqui no Mundo Conectado estamos sempre de olho nesse tipo de gadget, acompanhe nosso site e não perca nenhuma novidade da Xiaomi Mi Band 4 e de outras pulseiras inteligentes.