Jovem que parou o WannaCry e estava preso é solto sob supervisão
Créditos: Wired

Jovem que parou o WannaCry e estava preso é solto sob supervisão

Marcus Hutchins estava preso por distribuir um malware que ele mesmo fez

Marcus Hutchins ficou conhecido como o principal responsável por parar o espalhamento do WannaCry, um malware que atingiu o mundo todo em 2017. O problema é que o próprio Hutchins foi responsável pela criação e propagação de um outro programa malicioso quando era adolescente, o Kronos, que afetava bancos. Ele foi detido por isso, mas vai acabar não precisando cumprir sua pena por causa de seu trabalho para impedir o WannaCry.

O programador assumiu sua culpa no caso do Kronos e a defesa argumentou que ele era bem mais jovem na época, e que agora está pronto para seguir uma vida dentro da lei. Segundo declaração do próprio juiz do caso na sentença, Hutchins estava num momento de mudança de sua vida quando foi detido e vieram as acusações.

O hacker, no entanto, foi solto sob supervisão, o que significa que algumas condições precisam ser cumpridas. Ele vivia nos EUA, mas foi preso na Inglaterra e não vai poder ainda voltar para seu país enquanto estiver sob supervisão, por exemplo.

Foi irônico que justamente por fazer uma boa ação, Hutchins foi pego e preso pela polícia. Mas, ao mesmo tempo, é essa boa ação que o livrou de ter que cumprir uma pena encarcerado. Além disso, o programador pretende seguir na área de segurança contra softwares maliciosos. Ele já criou importantes pesquisas contra botnets, que são redes de bots, como vemos muito no Twitter, por exemplo. Ele também realiza streaming de vídeos mostrando algumas dicas de como parar infecções de malware fazendo engenharia reversa dos programas.

O WannaCry foi um malware que se espalhou por diversos computadores em entidades oficiais aproveitando uma vulnerabilidade presente em versões mais antigas do Windows, instaladas na maioria desses sistemas. Hutchins conseguiu parar a propagação descobrindo um domínio da internet que o WannaCry se comunicava para funcionar. Ele comprou o domínio e isso parou o malware imediatamente. O feito, no entanto, acabou levando à publicidade de seu nome e permitiu que ele fosse encontrado pelas autoridades e fosse preso pelo ataque do Kronos, que aconteceu entre 2014 e 2015.

Fonte: Engadget
User img

João Gabriel Nogueira

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

É oficial: Príncipe da Arábia Saudita hackeou o telefone do CEO da Amazon, Jeff Bezos

É oficial: Príncipe da Arábia Saudita hackeou o telefone do CEO da Amazon, Jeff Bezos

Um relatório da empresa de segurança forense FTI Consulting confirmou o caso


Nova versão de testes do navegador Safari não suporta o Adobe Flash Player

Nova versão de testes do navegador Safari não suporta o Adobe Flash Player

Plugin da Adobe será descontinuado no final de 2020


Microsoft expõe registros de suporte de 250 milhões de clientes por acidente

Microsoft expõe registros de suporte de 250 milhões de clientes por acidente

Erros de base de dados deixaram dados expostos a qualquer um com um navegador


FBI precisou de quase dois meses para desbloquear um iPhone 11

FBI precisou de quase dois meses para desbloquear um iPhone 11

É o segundo aparelho desbloqueado legalmente, mas a Apple não está ajudando no processo


Garena lança grupo musical T.R.A.P. com personagens de Free Fire

Garena lança grupo musical T.R.A.P. com personagens de Free Fire

Primeiro single lançado se chama "I'm on Fire" e já tem até clipe oficial