Análise: Xiaomi Mi Band 4 - enfim o vestível superbarato ganhou uma boa tela [+update]

Análise: Xiaomi Mi Band 4 - enfim o vestível superbarato ganhou uma boa tela [+update]

Pulseira inteligente é um excelente vestível de entrada

[+update]: No texto original havia uma falha sobre como funciona a central de notificações. É possível ver múltiplas notificações agrupadas fazendo o movimento de deslizar para cima, assim como acontece na Mi Band 3. No vídeo abaixo mostramos como acontece:

[+texto original]: A Xiaomi Mi Band 4 é uma pulseira inteligente fitness que tem como grande destaque seu preço muito acessível, característica que fez a Mi Band se tornar muito popular. A novidade da quarta geração desse produto é a introdução de um display AMOLED com muito mais resolução, o que torna a exibição de informações e navegação pelas interfaces muito mais interessante.

Link para compra da Xiaomi Mi Band 4

Especificações principais

- Tela 0,95" AMOLED 120 x 240, 400 nits
- Display oleofóbico 2,5D
- Resistência a 5ATM
- Sensores: acelerômetro, giroscópio, sensor de batimentos cardíacos e sensor de proximidade
- Peso: 21g
- Bateria: 135 mAh, até 20 dias de autonomia, 2 horas estimadas para recarga
- Construção em policarbonato, pulseira de TPU (compatível com pulseiras da Mi Band 3)

Preços

Preço no lançamentoU$ 25,00 11/06/2019U$ 30,00 22/06/2018R$ 39,99 08/02/2019
Preço atualizadoU$ 32,99 06/07/2019U$ 22,99 06/07/2019U$ 34,99 06/07/2019

Ficha Técnica

FabricanteXiaomi Xiaomi Huawei
Site oficialLinkLinkLink

Características

DisplayAMOLED colorida, 0.95 polegadas, 120x240px, 2.5D 0,78" OLED, 128x80 0,95" AMOLED 240 x 120
Tipo do produtoSmart band Smart band Smart band
ResistênciaSIM, 5 ATM 5 ATM 5 ATM
Bateria135 mAh110 mAh100 mAh
SensoresAcelerômetro de seis eixo
ConexõesBluetooth 5.0 Bluetooth 4.2 Bluetooth 4.2
CompatibilidadeAndroid, iOS Android, iOS Android, iOS
Peso22 gramas20 gramas23 gramas
Tamanho21,6 x 10,8 x 12 mm

Análise em vídeo

Design

A Mi Band 4 mantém a fórmula usada nas suas antecessoras, com um miolo onde estão os componentes e uma tira de borracha em torno. O miolo é removível, e é dessa forma que você encaixa ele no acessório de recarga ou pode trocar por outra pulseira

A Xiaomi manteve a compatibilidade com pulseiras da BAnd 3

A vantagem desse formato é que ele facilita muito a troca de pulseiras, e a Mi Band 4 conta com a vantagem de dar suporte às pulseiras da Band 3, o que já garante uma disponibilidade ampla de pulseiras dos mais diversos estilos e cores no mercado. O maior defeito dessa abordagem, porém, é que a Mi Band segue com um estilo pouco integrado entre o display e a pulseira, algo feito na Honor Band 4, por exemplo.

A tela colorida e de maior resolução são a grande evolução da Band 4

A grande novidade dessa nova geração fica na tela. Ao invés da monocromática OLED usada em modelos anteriores, a Xiaomi equipou esse vestível com uma bela tela AMOLED bastante colorida, com excelentes contrastes e boa definição. Essa mudança melhora significativamente as interfaces do vestível, com uma maior quantidade de informação visíveis no display, e exibidas de forma bem mais atrativa.

Funcionalidades

A Mi Band 4 mantém o conjunto de "truques" que sua antecessora trazia e algumas novidades. Ela tem funcionalidades de monitoramento de atividades do usuário, contabilizando horas dormidas, passos dados de forma automática e atividades físicas de forma manual. Ela também traz algumas interações com o celular, como exibir notificações e controlar o player de música, por exemplo.

A Band 4 mantém as mesmas funcionalidades de monitoramento de sono, exercícios e exibir notificações da Band 3

Usando o giroscópio e o acelerômetro a pulseira consegue verificar o quanto a pessoa se movimenta ao longo do dia, um recurso excelente para "gamificar" sua atividade física e motivar hábitos mais saudáveis de praticar exercícios. Ela também consegue criar estimativas de horas dormidas, e também a qualidade do sono. Nessa parte é sempre bom fazer uma consideração: a precisão do monitoramento serve apenas para curiosidade, e algum distúrbio do sono precisa ser acompanhado por um profissional capacitado e avaliado através de exames mais aprofundados.

Para uma análise mais aprofundada de uma atividade, o usuário pode acionar o monitoramento manual de atividade física, sendo que há ajustes para diversas atividades como corrida e até natação. Nessa situação o aparelho passará registrar constantemente os batimentos cardíacos junto com a movimentação e também registrará a geolocalização ao longo do exercício, gerando um mapa do deslocamento. Aqui tem uma ressalva importante: essa pulseira não conta com GPS, então ela irá buscar informações do smarpthone. Se você não estiver com ele, não será possível gerar esse mapa e a precisão da análise do deslocamento também é reduzida.

A principal novidade é um melhor funcionamento conjunto do GPS do celular, que é usado automaticamente mesmo que você use a puleira para iniciar o monitoramento, e uma central de controle das músicas do celular. Ao deslizar para os lados, abre uma tela onde é possível ver a multimídia tocada no smartphone, controles de avançar, pausar ou mudar o volume. O único defeito é o delay: quando você abre essa tela, vão uns 2 segundos para a pulseira resgatar as informações da mídia em execução no celular e ser possível dar algum comando.

Performance e autonomia

A Mi Band 4 é muito ágil, respondendo a comandos de forma praticamente instantânea. A interface mais lenta é a das notificações, onde um leve delay é perceptível quando alternamos de uma para a próxima, mas mesmo ela tem uma resposta bem rápida, diferente da Honor Band 4.

Na duração de bateria, a Xiaomi promete até 20 dias de autonomia. Um problema desse tipo de produto é nossa dificuldade em fazer vários ciclos completos de descarregamento completo da bateria. Durante as quase duas semanas de uso, até o momento, foi possível perceber uma redução de em torno de 4% da bateria disponível por dia, algo que dá indícios que ela deve chegar aos 20 dias de duração de bateria com folga. É bom lembrar que essa é a duração da carga sem o monitoramento constante dos batimentos cardíacos e análise aprofundada do sono.

Conclusão

A Xiaomi Mi Band 4 não mudou muito suas funcionalidades e capacidades comparada a Mi band 3, mas bastou a introdução de uma tela melhor para trazer um salto significativo na experiência. Agora é muito melhor ver as informações na telinha do vestível ou navegar por seus menus.

{notas}

Isso faz com que sua disputa com outros vestíveis, como as Huawei Band 4 e Band 3 Pro fique bem mais interessante, já que era uma clara desvantagem do modelo da Xiaomi a tela monocromática e de baixa resolução. Agora esse modelo encara "de igual para igual" essas rivais, só fica devendo um GPS interno para chegar ao mesmo nível de recursos que a Band 3 Pro. De qualquer forma, se você levar seu celular junto, esses dados poderão ser coletados através dele para o monitoramento do seu exercício.

Apesar de modestas as mudanças, a nova tela para controle de música é um recurso bastante interessante, pena que tenha um leve delay antes toda vez que é aberta. No restante, mesmo não sendo tão completa quanto outros vestíveis, considerando seu baixo preço ela já é um excelente vestível, especialmente para quem está buscando uma opção de entrada, não está querendo gastar muito ou mesmo nem faria uso de um gadget mais complexo, bastando as funcionalidades que a Xiaomi colocou nesse modelo aqui.

A Xiaomi Mi Band 4 evolui bastante com a tela colorida, e é um dos melhores vestíveis de baixo custo do mercado

Mesmo com problemas, Huawei vai chegar perto da Samsung na vendas de celulares

Mesmo com problemas, Huawei vai chegar perto da Samsung na vendas de celulares

Companhia chinesa permanece em segundo lugar no mercado de smartphones


Vazamento no twitter aponta que o Huawei P40 Lite é, na verdade, o Nova 6 SE

Vazamento no twitter aponta que o Huawei P40 Lite é, na verdade, o Nova 6 SE

O P40 Lite poderá ser lançado sem os serviços da Google, se o embargo se manter


Xiaomi Amazfit GTR

Xiaomi Amazfit GTR

Confira a ficha técnica


Huawei P40 Pro pode vir com bateria de grafeno de 5.500 mAh

Huawei P40 Pro pode vir com bateria de grafeno de 5.500 mAh

Aparelho pode vir com bateria de alta capacidade e suporte para recarga rápida de 50W


Jornalista Jane Slater descobriu traição de ex-namorado por dispositivo da Fitbit

Jornalista Jane Slater descobriu traição de ex-namorado por dispositivo da Fitbit

O dispositivo acusou aumento da atividade física do parceiro às 4 da manhã