NASA vai usar drone com energia nuclear para explorar lua de Saturno atrás de vida
Créditos: NASA

NASA vai usar drone com energia nuclear para explorar lua de Saturno atrás de vida

Lua Titã tem condições parecidas com as da Terra há 4 bilhões de anos

A NASA anunciou que pretende enviar um drone movido a energia nuclear para Titã, a maior lua de Saturno. A expedição pretende pesquisar de perto as condições do planeta que, em teoria, são muito semelhantes às da Terra de 4 bilhões de anos atrás. O drone se chama Dragonfly e voar entre pontos do planeta procurando também sinais de vida, já que as condições de Titã deveriam permitir a existência de organismos microbianos.

Nós sabemos que o Titã tem todos os ingredientes necessários para a vida. Até que ponto a química entra em um ambiente que contém todos os ingredientes?
Elizabeth Turtle, cientista planetária da Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory e uma dos responsáveis pela expedição

Diferente de outros drones usados nesse tipo de pesquisa, o Dragonfly não será movido a energia solar, usando nuclear em vez disso, carregando com ele um gerador termoelétrico. O motivo disso é que em Titã os raios de sol não serão fortes o suficiente para manter funcionando um drone voador, com a atmosfera sendo muito densa para a penetração da luz adequada para o uso de uma célula fotovoltaica.

O drone vai ser equipado também com diversos instrumentos e ferramentas capazes de detectar compostos orgânicos e bioassinaturas complexas, para tentar localizar sinais de vida na lua. Além disso, ele poderá também medir variáveis geográficas, como a atividade sísmica, a fim de ajudar a entender também como se deu o processo de formação do nosso planeta, já que as condições de Titã do presente são semelhantes às da Terra do passado.

Segundo a descrição dos cientistas sobre Titã, o satélite natural tem uma paisagem dominada por dunas de areia e hidrovias cheias de metano e etano, que seriam capazes de sustentar vida microbiana. A superfície é predominantemente água congelada e, abaixo da crosta, estima-se que existe um reservatório de água líquida que pode ter a mesma temperatura do Oceano Pacífico. 

Mas ainda vai um bom tempo até vermos os primeiros resultados obtidos pela missão do Dragonfly. O drone deve ser lançado apenas em 2026 e a estimativa é que ele chegue em Titã em 2034.


Créditos de imagens: NASA

Fonte: Galileu
User img

João Gabriel Nogueira

OnePlus TV teria SoC da MediaTek, 3GB de RAM e Android 9.0 Pie

OnePlus TV teria SoC da MediaTek, 3GB de RAM e Android 9.0 Pie

Novo televisor Android seria inicialmente lançado em variante indiana


Ações de Apple, Qualcomm, AMD e Nvidia caem após declarações de Trump

Ações de Apple, Qualcomm, AMD e Nvidia caem após declarações de Trump

Presidente dos EUA afirmou em seu Twitter que país não precisa da China


Agência de aviação dos EUA avisa pessoas que é ilegal acoplar armas perigosas a drones

Agência de aviação dos EUA avisa pessoas que é ilegal acoplar armas perigosas a drones

Imagens de drones com escopetas, bombas e até lança-chamas causam preocupação à FAA


Nasa homenageia os Rolling Stones com uma rocha em Marte!

Nasa homenageia os Rolling Stones com uma rocha em Marte!

Robert Downey Jr. foi quem subiu ao palco do Rose Bowl para fazer o anúncio


Samsung lança Style S51, notebook flexível com tela sensível ao toque

Samsung lança Style S51, notebook flexível com tela sensível ao toque

O dispositivo promete atender com alto desempenho quem executa trabalhos criativos