Cientistas de Yale conseguem resolver o paradoxo do Gato de Schrödinger
Créditos: Kat Stockton

Cientistas de Yale conseguem resolver o paradoxo do Gato de Schrödinger

Foi provado que o salto quântico pode ser monitorado e até mesmo revertido

Este ano aparentemente está sendo produtivo para os cientistas, depois da primeira foto de um buraco negro já registrado na história, agora um dos paradoxos mais famosos da mecânica quântica foi resolvido. O Gato de Schrödinger, foi uma situação paradoxal desenvolvida pelo físico austríaco Erwin Schrödinger em 1935 e é usado para ilustrar o conceito de superposição, que contesta a possibilidade de duas situações opostas acontecerem ao mesmo tempo.

Para entendermos melhor do que se trata, vamos lembrar o que é o paradoxo do Gato de Schrödinger, que é descrito como "uma experiência mental". A descrição é: tem um gato em uma caixa lacrada com um átomo radioativo e um veneno, não há como saber se ele está vivo ou morto, é como se ele estivesse "vivomorto". Isso vai acontecer ao menos enquanto ele não for observado, ou seja, enquanto ninguém abrir a caixa é impossível saber qual é o estado do gato. Apesar de parecer impossível e atípico para o senso comum, essa situação é bem presente em sistemas quânticos, o conceito que descreve essa situação é: estado emaranhado.

Quando a caixa for aberta o gato pode tanto estar vivo como estar morto, mas o fato de abrir a caixa vai gerar uma modificação abrupta na situação, isso é chamado pelos cientistas de "salto quântico", e o resultado pode ser aleatório e não segue nenhum padrão. O que foi descoberto pelos cientistas da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, foi, justamente, conseguir prever o resultado do salto quântico.

Os cientistas fizeram as pesquisas com átomos artificiais "quase perfeitos", que são os qubits, (presentes nas infraestrutura informação de computadores quânticos). Um gerador de sinais de micro-ondas foi usado para irradiar o átomo que estava em uma cavidade 3D feita de alumínio, eles conseguiram detectar os fótons, mas além disso conseguiram prever o salto quântico, assim foi possível parar e reverter o estado do salto. Essas experiências conseguiram provar que mesmo que a alteração do salto quântico seja aleatória ela pode ser monitorada e até mesmo revertida.

11/04/2019 às 12:58
Notícia

Katie Bouman é a principal responsável pela primeira imagem d...

A cientista de 29 anos desenvolveu o algoritmo que captou a primeira imagem de um buraco negro

Continua depois da publicidade

Na prática, o que essa descoberta muda na vida das pessoas é que essa situação aleatória está presente em muitos elementos da natureza. Um dos exemplos usados para demonstrar o uso disso é a erupção de um vulcão. Atualmente ainda não foi confirmado nenhum padrão para que isso ocorra, e a mudança de estados é abrupta. Usando os mesmos métodos que os pesquisadores desenvolveram, agora vai ser possível prever e modificar situações como a erupção de vulcões.

Via: ArsTechnica Fonte: Yale Newsroom
User img

Ana Luiza Pedroso

Mars Helicopter, o drone da Nasa que será enviado para Marte, passa por testes de voo

Mars Helicopter, o drone da Nasa que será enviado para Marte, passa por testes de voo

Aeronave será enviada ao planeta vermelho no ano que vem


Samsung cria sistema usando IA que consegue gerar vídeos a partir de uma única imagem

Samsung cria sistema usando IA que consegue gerar vídeos a partir de uma única imagem

Os softwares de deepfake usam as redes neurais para imitar movimentos reais humanos