DJI lança RoboMaster S1, robô educacional que ensina física, matemática e programação
Créditos: DJI

DJI lança RoboMaster S1, robô educacional que ensina física, matemática e programação

O robô pode ser personalizado usando as linguagens de programação: Python e Scratch

A DJI, empresa que detém 74% do mercado mundial de drones de consumo, está lançando o RoboMaster S1, um robô educacional. O propósito central é ensinar matemática, física e programação de uma forma diferente e divertida, fazendo com que enquanto os alunos brinquem, aprendam e coloquem em prática conceitos que muitas vezes são difíceis de fazer contato com o mundo real.

O robô não vem pronto, a caixa possui 46 componentes personalizáveis que devem ser montadas como um lego. Para começar a ser usado, as peças precisam ser conectadas, conforme a DJI indica no manual de instruções. O fato de ele poder ser desmontado abre margem também para que futuras peças sejam lançadas, podendo modificar totalmente o S1 com outros equipamentos adicionais, (a empresa ainda não falou sobre isso oficialmente). Além das peças que compõem o S1, a caixa acompanha outros equipamentos que podem ser usados posteriormente para as brincadeiras. 

O S1 foi pensado para ser aprimorado conforme os conhecimentos em física, matemática e programação vão aumentando. Apesar de que ele já venha com algumas funções, todas elas podem ser modificadas com os códigos de programação. As duas linguagens suportadas são Python e Scratch, ambas são usadas na versão clássicas e foram baseadas no método que é aplicado para ensinar códigos para crianças e adolescentes.

Link do site oficial do produto

Há seis partes principais no robô, são elas: o controlador inteligente (intelligent controller), blaster, gimbal mecânico de dois eixos (2- axis mechanical gimbal), rodas mecanum (mecanum wheel), motor de alta-performance (high performance motor) e a armadura com sensores inteligentes (intelligent sensing armor). Veja na imagem abaixo onde fica alocada cada parte:

Controlador inteligente (intelligent controller): ele fica na parte superior, como se fosse na "cabeça" do robô, usa uma CPU que suporta transmissão de imagem de baixa latência e alta definição, além de ser responsável pelas execuções dos sinais de comando.

Blaster: fica na parte interna do robô, logo abaixo do sensor principal, ele usa luzes LED para marcar trajetórias de lançamento de suas "armas", que são partículas de gel e feixes de infravermelho. Ele produz efeitos sonoros, que tem como objetivo simular uma batalha real e, deixar a experiência mais imersiva. 

Gimbal mecânico de dois eixos (2- axis mechanical gimbal): essa parte pode ser considerada como um "pescoço" do robô, ele possui uma faixa de rotação e de inclinação de 540° por 65°. Essa rotação faz com que o campo de visão da câmera FPV, presente no robô, seja maior. O motor brushless, de acionamento direto embutido, trabalha em conjunto com a IMU e algoritmos avançados que permitem movimentos precisos, o que aumenta a qualidade da transmissão de imagem.

rodas mecanum (mecanum wheel): as rodas são as responsáveis pela locomoção do robô, cada uma delas possui 12 roletes, o que faz com que o movimento seja omnidirecional, ou seja, possuem as mesmas propriedades em todas as direções. Isso faz com que o S1 tenha mais controle de precisão dos caminhos que vão ser traçados. 

motor de alta-performance (high performance motor): o motor que está presente no S1 é o M3508I personalizado, que permite que a velocidade e os sentidos de direção do robô sejam alterados por meio da programação. Ele ainda possui sensores lineares de efeito Hall com algoritmos avançados que permitem controle com precisão. O motor também fornece segurança adicionais para a melhoria da estabilidade.

Armadura com sensores inteligentes (intelligent sensing armor): a armadura fica na parte lateral do S1, ela é composta por seis paineis blindados inteligentes para detectar o ataque de gel ou raios infravermelhos, de um S1 adversário. Essa parte foi pensada para ser usada como defesa em situações de combate com outros robôs.

O S1 já possui programação para fazer o reconhecimento de linhas, (que podem ser traçadas para que ele siga), pessoas (que são reconhecidas pela câmera e podem ser seguidas, por exemplo), marcadores de visão (como placas, ou indicativos), palmas, gestos (os gestos reconhecidos também geram ações) e também outros robôs s1 (que podem ser usados em batalhas). Todos os reconhecimentos são modificáveis na programação, o que permite que as ações feitas pelo robô possam ser personalizada de acordo com que o aluno queira.

A programação é feita pelo app RoboMaster que é disponibilizado pela DJI. Ele pode ser baixado tanto em smartphones como em tablets, o que permite que o aluno consiga fazer as alterações de códigos em qualquer lugar.

Link para a site de vendas do S1

O RoboMaster S1 da DJI já está pronto para o mercado e já pode ser comprado, acessando este link. O valor que está sendo cobrado por ele é de US$499, que em conversão direta para a atual cotação da moeda, sem considerar nenhum imposto, é cerca de R$1922.

Fonte: DJI
User img

Ana Luiza Pedroso

Drone da DJI ajuda no combate da Malária na África

Drone da DJI ajuda no combate da Malária na África

Experimento utiliza a tecnologia para facilitar o combate aos mosquitos que transmitem doença


MIT mostra teste de nove de seus robôs Mini Cheetah em novo - e curioso - vídeo

MIT mostra teste de nove de seus robôs Mini Cheetah em novo - e curioso - vídeo

Pequenos robôs ficam pra lá e pra cá brincando no mato e passando uma sensação de vida


QooCam 8K é a primeira câmera de bolso 360 a filmar em 8K

QooCam 8K é a primeira câmera de bolso 360 a filmar em 8K

Gadget também tem gravações em slow-motion em 4K120fps


DJI explica por que está fazendo investimentos em robótica

DJI explica por que está fazendo investimentos em robótica

Para a empresa, o entendimento da área está se tornando cada vez mais essencial para o dia a dia


Anac vai rever regras para uso de drones no Brasil

Anac vai rever regras para uso de drones no Brasil

A agência abriu processo de tomada de subsídios para pessoas contribuírem com a revisão