ARM anuncia CPU aperfeiçoado Cortex-A77 e novo GPU Mali-G77
Créditos: GSM Arena

ARM anuncia CPU aperfeiçoado Cortex-A77 e novo GPU Mali-G77

Parece que chipset como o Exynos, Kirin e Helio terão bons ganhos em um futuro próximo

A Arm anunciou hoje a nova CPU Cortex-A77 - atualização projetada para processos maduros de 7nm - e o novo GPU Mali-G77, que trocou a arquitetura Bifrost pela Valhall. A nova arquitetura e o Mali-G77, que parece ser a maior novidade, acompanham as três últimas gerações de GPUs Mali com algumas melhorias significativas no desempenho, densidade e eficiência. 

 

ARM também deve suspender negócios com a Huawei, afetando os chips Kirin

 

GPU Mali-G77

A última iteração da arquitetura Bifrost - o Mali-G76 - foi um salto significativo para a Arm. O IP foi amplamente capaz de resolver alguns dos problemas críticos de seus antecessores, com resultados relativamente bons para os chipsets Exynos 9820 e Kirin 980. Porém, enquanto a Arm estava recuperando e corrigindo os problemas de Bifrost, a competição não parou.

A nova arquitetura Valhall do Mali-G77 traz um projeto de núcleo que tenta resolver as principais deficiências da arquitetura Bifrost, e parece ser muito mais semelhante às abordagens de design adotadas por outros fornecedores de GPU.

A Valhall promete promete uma melhoria de 30% na eficiência energética e densidade de desempenho e de 60% nas tarefas de aprendizado de máquina. Além disso, os SoCs do fim de 2019 e início de 2020 que a utilizarem podem esperar um aumento de 40% de desempenho.  

O novo GPU não recebe muitas melhorias no processo de fabricação, mas compensa nos ganhos vindos dos saltos arquitetônicos e microarquitetônicos.   Se as promessas forem postas em prática, o Mali-G77 deve ser capaz de fazer até o dobro de trabalho que um núcleo do modelo anterior faria. 

 

CPU Cortex-A77

O novo Cortex-A77 é uma evolução direta do seu antecessor e representa a segunda instância da família de núcleos Austin da Arm. Ele é baseado no design do Cortex-A76 e promete uma melhoria de desempenho de 20% na mesma velocidade de clock. Além disso, ele  adiciona uma quarta ALU, que aumenta a velocidade de execução inteira em até 50%

O novo núcleo  pode fazer operações simples (adicionar e subtrair) em um único ciclo e foi melhorado para realizar operações complexas (multiplicar) em 2-3 ciclos - o modelo antigo precisava de 4.

A Arm melhorou a precisão do preditor de ramificação (branch predictor) e adicionou uma segunda porta de previsão que ajudará a fornecer dados para a nova ALU mais rápido. Um segundo pipeline do AES (Advanced Encryption Standard) também foi acrescentado para acelerar a criptografia e a descriptografia.

A empresa afirma que o núcleo foi desenvolvido para que os fornecedores possam simplesmente atualizar o SoC IP sem muito esforço.

No geral, parece que os chipset que dependem da ARM gráficos - como o Exynos, Kirin e Helio - terão bons ganhos em um futuro próximo.

Via: Anandtech (1), Anandtech (2), GSM Arena
User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Apple pode reduzir custos de produção ao trocar chips Intel por ARM nos Macs

Apple pode reduzir custos de produção ao trocar chips Intel por ARM nos Macs

Análise de especialista aponta um gasto entre 40% e 60% menor para a empresa


Nova ferramenta da Google vai otimizar em até 40% GPUs da Qualcomm

Nova ferramenta da Google vai otimizar em até 40% GPUs da Qualcomm

Dispositivos com Snapdragon terão taxas de quadros mais altas e otimização da bateria