Samsung finaliza 1ª versão do seu novo e mais eficiente processo de produção em 3nm
Créditos: Samsung

Samsung finaliza 1ª versão do seu novo e mais eficiente processo de produção em 3nm

Empresa inaugura arquitetura Gate-All-Around, que ainda promete maior desempenho para SoCs

A Samsung anunciou que finalizou a primeira versão da sua litografia de 3nm, um novo refinamento do processo de produção que é utilizado para fabricar peças de hardware como processadores e system-on-a-chips (SoCs). Uma das grandes novidades da tecnologia é o uso de um novo projeto de design conhecido como Gate-All-Around (GAA), que chega para substituir o FinFET que estava sendo utilizado nas gerações anteriores.

24/05/2019 às 17:37
Notícia

Todas as pré-encomendas do Samsung Galaxy Fold foram cancelad...

O motivo de cancelar os pedidos foi a Samsung não dar uma data correta de lançamento

Em suma, o que isso significa é que os designers encontraram uma nova maneira de configurar as estruturas onde ficam posicionados os transistores. A novidade representa uma promessa de desempenho até 35% superior, com consumo energético 50% menor. Além disso, o novo processo de 3nm resulta num uso de área física 45% reduzido em comparação com a tecnologia de 7nm – que foi usada no processador do Galaxy S10, por exemplo.

Site oficial: SoCs Samsung Exynos

A adoção de uma nova lógica de design se fez necessária porque o projeto anterior, do tipo FinFET, já não conseguia obter desempenho significativamente melhor de processos de produção menores. Com o novo Gate-All-Around, fabricantes como a Samsung poderão criar litografias cada vez mais reduzidas e ter ganhos de performance reais a cada encolhimento de arquitetura.

Existem dois tipos de projeto usando o GAA, um deles conhecido como GAAFET e outro chamado de MBCFET. O GAAFET utiliza estruturas conhecidas como nanofios, que são úteis para designs de baixo consumo, mas que são difíceis de fabricar. Já a outra implementação cria peças conhecidas como nanochapas, que resultam em melhor performance e mais possibilidades de ter ganhos reais de desempenho com otimizações futuras.

Conforme aponta o site Anand Tech, o kit de design de produto (da sigla em inglês PDK) é uma das ferramentas necessárias para a fábrica criar um novo chip. Por exemplo, quando uma empresa quer desenvolver um chip baseado em arquitetura ARM de 14nm, eles encomendam um kit de design que então é enviado para a linha de produção – seja da Samsung, da TSMC ou da GlobalFoundries.

Os PDKs de 14nm já estão bastante maduros e consolidados no mercado, mas esse não é o caso de tecnologias emergentes como a de 3nm. Por isso, empresas como a Samsung têm de ir criando e refinando diversas iterações do kit até que ele esteja pronto para criar os chips que vão parar no mercado.

Via: Anand Tech, Adrenaline
Huawei pode receber extensão para continuar trabalhando com empresas dos EUA

Huawei pode receber extensão para continuar trabalhando com empresas dos EUA

Prazo de 90 dias renovado anteriormente termina nesta segunda-feira


146 vulnerabilidades são encontradas em apps pré-instalados no Android

146 vulnerabilidades são encontradas em apps pré-instalados no Android

Estudo mostra que aparelhos de 29 marcas já chegam com falhas de segurança no momento que são ligados


Uber sobrevive mesmo com prejuízo de U$1,2 bilhão, mas como?

Uber sobrevive mesmo com prejuízo de U$1,2 bilhão, mas como?

Para especialistas, os problemas só devem aumentar e a solução não parece simples


ASUS e Google trabalham em mini-PCs com foco em inteligência artificial

ASUS e Google trabalham em mini-PCs com foco em inteligência artificial

Tinker Edge T e Tinker Edge R serão apresentados no dia 20 em evento no Japão


Xiaomi anuncia 1ª atualização OTA para o Mi Watch

Xiaomi anuncia 1ª atualização OTA para o Mi Watch

Update chega no dia 3 de dezembro junto de aplicativo para iOS