Devolver na mesma moeda? Se China proibir produtos Apple, empresa perde 29% dos seus lucros
Créditos: Culturizando/PhoneArena

Devolver na mesma moeda? Se China proibir produtos Apple, empresa perde 29% dos seus lucros

No entanto, isso pode causar grandes demissões e afetar a economia chinesa ainda mais

A proibição de produtos Huawei nos Estados Unidos foi uma péssima notícia para a China, já que atingiu a segunda maior fabricante mundial de smartphones na sua maior fonte de renda. No entanto, existe a possibilidade do país asiático devolver na mesma moeda, e a Apple - terceira maior fabricante de smartphones - poderia ser uma das atingidas.

Segundo analistas da Goldman Sachs, a Apple poderia perder 29% dos seus lucros se o governo chinês proibisse as vendas dos seus produtos. A China é responsável por 17% das vendas da marca e vale lembrar que os produtos da empresa - principalmente o iPhone -  também são fabricados no país.

24/05/2019 às 13:30
Notícia

Huawei teria três meses de componentes estocados; empresa se ...

Empresa chinesa comenta o bloqueio do Android e mantém lançamento da linha Honor para amanhã

Esses 29% representariam uma queda de US$ 3,35 por ação da Apple. No último ano fiscal, ela tinha um lucro líquido de US$ 59,5 bilhões, então proibir o iPhone custaria um valor estimado em mais de  US$ 17 bilhões.

Muitos analistas  acreditam que a participação de mercado da Apple na China vai continuar caindo. Durante o segundo trimestre fiscal (de janeiro a março), a empresa viu suas receitas na China caírem 21,5%.  O iPhone teve 7% na participação do mercado chinês durante o primeiro trimestre deste ano - 2,1%  a menos que em 2018. E mesmo que não proíba o iPhone, a onda nacionalista que está atingindo os chineses pode ter notável influência na situação.

"...Deixando de lado questões políticas, a oferta de produtos e as estratégias de preços da Apple serão as principais razões por trás de sua queda de participação de mercado."

- Zaker Li, da firma analítica IHS Markit

Porém, mesmo que um número considerável de consumidores chineses esteja abandonando o iPhone, o fundador e CEO da Huawei, Ren Zhengfei, ainda elogia a Apple.

"...,não se pode pensar que o amor pela Huawei signifique amar os telefones da Huawei." 

- Ren Zhengfei

E também é preciso ver o outro lado: a Apple depende de fabricantes chinesas como a Foxconn e a Pegatron para fabricar o seu smartphone e paga muito dinheiro para isso. Se o dispositivo fosse proibido, a empresa teria que cortar a produção, e isso levaria a grandes demissões de funcionários da linha de produção chinesa.

24/05/2019 às 10:40
Notícia

Donald Trump diz que pode incluir a Huawei em um acordo comer...

O presidente dos EUA diz considerar a empresa perigosa para a segurança do país

A Apple também estaria considerando transferir sua produção para fora da China, devido ao aumento das tarifas (porém é mais fácil falar do que fazer). Como tudo isso poderia prejudicar a economia da China ainda mais, muitos não acreditam na possível proibição. Mas nada é certo.

Via: PhoneArena, TNW
Spotfiy começa a testar exibição de letras de música em tempo real

Spotfiy começa a testar exibição de letras de música em tempo real

Recurso foi adicionado recentemente ao rival Apple Music e funciona em sincronia com o áudio


Tablet Huawei MatePad Pro pode ser revelado no dia 25 de novembro

Tablet Huawei MatePad Pro pode ser revelado no dia 25 de novembro

Primeiras imagens do novo tablet vazaram no início deste mês


Huawei P30 e Huawei P30 Pro na Europa começam a receber a atualização EMUI 10

Huawei P30 e Huawei P30 Pro na Europa começam a receber a atualização EMUI 10

A atualização deve ser começar a ser disponibilizada em breve no Brasil


Xiaomi apresentará leitor de ebooks dia 20 de novembro

Xiaomi apresentará leitor de ebooks dia 20 de novembro

Produto será oferecido através de financiamento coletivo


Xiaomi se prepara para abrir sua segunda loja no Brasil

Xiaomi se prepara para abrir sua segunda loja no Brasil

Inauguração ocorre dia 23 de novembro no Shopping Center Norte em São Paulo