Devolver na mesma moeda? Se China proibir produtos Apple, empresa perde 29% dos seus lucros
Créditos: Culturizando/PhoneArena

Devolver na mesma moeda? Se China proibir produtos Apple, empresa perde 29% dos seus lucros

No entanto, isso pode causar grandes demissões e afetar a economia chinesa ainda mais

A proibição de produtos Huawei nos Estados Unidos foi uma péssima notícia para a China, já que atingiu a segunda maior fabricante mundial de smartphones na sua maior fonte de renda. No entanto, existe a possibilidade do país asiático devolver na mesma moeda, e a Apple - terceira maior fabricante de smartphones - poderia ser uma das atingidas.

Segundo analistas da Goldman Sachs, a Apple poderia perder 29% dos seus lucros se o governo chinês proibisse as vendas dos seus produtos. A China é responsável por 17% das vendas da marca e vale lembrar que os produtos da empresa - principalmente o iPhone -  também são fabricados no país.

24/05/2019 às 13:30
Notícia

Huawei teria três meses de componentes estocados; empresa se ...

Empresa chinesa comenta o bloqueio do Android e mantém lançamento da linha Honor para amanhã

Esses 29% representariam uma queda de US$ 3,35 por ação da Apple. No último ano fiscal, ela tinha um lucro líquido de US$ 59,5 bilhões, então proibir o iPhone custaria um valor estimado em mais de  US$ 17 bilhões.

Muitos analistas  acreditam que a participação de mercado da Apple na China vai continuar caindo. Durante o segundo trimestre fiscal (de janeiro a março), a empresa viu suas receitas na China caírem 21,5%.  O iPhone teve 7% na participação do mercado chinês durante o primeiro trimestre deste ano - 2,1%  a menos que em 2018. E mesmo que não proíba o iPhone, a onda nacionalista que está atingindo os chineses pode ter notável influência na situação.

"...Deixando de lado questões políticas, a oferta de produtos e as estratégias de preços da Apple serão as principais razões por trás de sua queda de participação de mercado."

- Zaker Li, da firma analítica IHS Markit

Porém, mesmo que um número considerável de consumidores chineses esteja abandonando o iPhone, o fundador e CEO da Huawei, Ren Zhengfei, ainda elogia a Apple.

"...,não se pode pensar que o amor pela Huawei signifique amar os telefones da Huawei." 

Continua após a publicidade

- Ren Zhengfei

E também é preciso ver o outro lado: a Apple depende de fabricantes chinesas como a Foxconn e a Pegatron para fabricar o seu smartphone e paga muito dinheiro para isso. Se o dispositivo fosse proibido, a empresa teria que cortar a produção, e isso levaria a grandes demissões de funcionários da linha de produção chinesa.

24/05/2019 às 10:40
Notícia

Donald Trump diz que pode incluir a Huawei em um acordo comer...

O presidente dos EUA diz considerar a empresa perigosa para a segurança do país

A Apple também estaria considerando transferir sua produção para fora da China, devido ao aumento das tarifas (porém é mais fácil falar do que fazer). Como tudo isso poderia prejudicar a economia da China ainda mais, muitos não acreditam na possível proibição. Mas nada é certo.

Via: PhoneArena, TNW
User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.