Evento da Blue Origin detalha missão para a lua que vai ser feita com a nave Blue Moon
Créditos: Blue Origin

Evento da Blue Origin detalha missão para a lua que vai ser feita com a nave Blue Moon

A empresa confirmou que vai em missão para lua até 2024, mas "dessa vez para ficar"

A empresa Blue Origin de Jeff Bezos, fundador da Amazon, fez um evento no dia 09 de maio para apresentar a sua nave Blue Moon. O objetivo é que a empresa consiga fazer uma missão tripulada para a lua até 2024, mas não apenas em caráter exploratório, Bezos fala também que a prosperidade e continuidade da espécie humana depende da exploração de outros lugares fora da Terra.

O vídeo acima mostra um pouco do que é o projeto Blue Moon e quais são os planos da empresa para o pouso e realização da missão na lua. Também mostra um pouco de como vai extrair alguns importantes recursos que estão dispostos na lua.

29/05/2018 às 13:07
Notícia

Jeff Bezos dá detalhes sobre o plano de colonização lunar da ...

O CEO da Amazon pretende usar o satélite natural para resolver problemas da Terra

Continua depois da publicidade

No tweet acima a empresa fala: "Hoje, nosso fundador compartilhou nossa visão de ir ao espaço para beneficiar a Terra. Nós devemos retornar à Lua - desta vez para ficar. Estamos prontos para oferecer suporte ao @NASA para chegar até 2024 com o #bluemoon." A parceria é anunciada em um momento em que a NASA precisa adiantar a missão que estava programada para o ano de 2028 para 2024, isso porque o governo dos EUA está pressionando para que a presença norte americana volte para a lua o quanto antes. Como realizar essa expedição é algo extremamente caro, o auxílio de empresas privadas se tornam essenciais para cumprir o objetivo.

A nave Blue Moon está em desenvolvimento há muitos anos, o objetivo é que ela consiga transportar até 3,6 toneladas do que a empresa chama de "payloads" em tradução livre significa carga útil, mas não especifica exatamente o que é. A empresa fala também que a nave tem módulo de aterrissagem que fornece kilowatts de energia para cargas úteis usando suas células de combustível. 

Continua depois da publicidade

A NASA descobriu que a lua possui uma grande quantidade de gelo em seus polos, e eles não evaporam porque ficam bloqueado em crateras, o objetivo é transformar esse gelo em combustível para naves e foguetes, o que vai dispensar que a Terra seja usada para reabastecimento. Isso vai poder fazer com que a lua seja usada como uma segunda base, para que outras missões consigam acontecer a partir dela, para outros mundos.

A Blue Origin não tem o hábito de expor os seus projetos para a imprensa, apesar disso realizou um grande evento na Casa Branca que reuniu uma série de jornalistas de diferentes veículos para expor os planos da missão espacial que Blue Moon vai liderar. Todo o evento foi compartilhado pelo canal do YouTube da Blue Origin, e pode ser acessado clicando no vídeo abaixo:

Via: IstoÉ dinheiro, TechCrunch, Engadget Fonte: Blue Origin
User img

Ana Luiza Pedroso

Hasselblad apresenta edição especial da câmera 907X em parceria com a NASA

Hasselblad apresenta edição especial da câmera 907X em parceria com a NASA

Máquina fotográfica celebra 50 anos da chegada da humanidade à Lua


Elon Musk diz que testes do chip cerebral em humanos deve começar no próximo ano

Elon Musk diz que testes do chip cerebral em humanos deve começar no próximo ano

A tecnologia está sendo desenvolvida por uma startup financiada pelo CEO da Tesla


Índia adia missão para a Lua uma hora antes do lançamento

Índia adia missão para a Lua uma hora antes do lançamento

Problema técnico fez país cancelar lançamento de carro lunar


Avião da Virgin Orbit solta foguete LauncherOne no chão como parte de teste

Avião da Virgin Orbit solta foguete LauncherOne no chão como parte de teste

Ideia da ação era ver se o pequeno foguete se comportaria como esperado durante a queda


Cientistas desenvolvem tecnologia APDs que promete ser mais rápida e eficiente que o silício

Cientistas desenvolvem tecnologia APDs que promete ser mais rápida e eficiente que o silício

A tecnologia pode ser aplicada em sistemas espaciais de comunicação óptica livre do futuro