Veja a velocidade incrível da futura assistente por voz da Google
Créditos: Divulgação Google

Veja a velocidade incrível da futura assistente por voz da Google

Nova tecnologia dispensa comando "ok, Google" e reage de forma muito mais eficiente

A Google fez uma série de demonstrações do que vem chamando de "nova geração da Google Assistente". A nova geração será muito mais reativa, conseguindo encadear uma série de comandos sem a necessidade do comando "Ok, Google", e também é muito mais proativa e consegue interagir com mais apps e realizar mais ações.

Um ponto essencial dessa evolução foi a redução do tamanho dos arquivos necessários para toda a parte de inteligência artificial de reconhecimento da fala. A empresa afirma ter reduzido os 100GB de dados para apenas 0,5GB, um arquivo pequeno o bastante para ser incorporado na memória do celular. Com isso, não é mais necessário enviar o arquivo para o servidor da Google para fazer o reconhecimento da fala, o que reduz em muito o tempo de resposta.

A assistente por voz operando no celular vai tornar o reconhecimento muito mais rápido

Com o reconhecimento mais ágil, a assistente da Google passa a responder a comandos de forma praticamente instantânea e passa a não depender mais do comando para ser acionada, combinando o contexto de pedidos anteriores para entender novos comandos.

A assistente também ganhou novas funções baseado em dados do usuário. Alguns comandos podem usar o histórico da pessoa para direcionar as respostas, com buscas por receitas, por exemplo, levando em consideração buscas anteriores e preferências, em um recurso chamado "picks for you". Compartilhando dados adicionais, a assistente pode entender comandos complexos como "previsão do tempo na casa de minha mãe na terça", por exemplo. Esse recurso é chamado "reference resolution".

A nova assistente por voz da Google chegará "a novos celulares Pixel" (aparentemente fazendo menção a produtos não anunciados) durante 2019.

User img

Diego Kerber

Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.