Sonda InSight da Nasa faz o primeiro registro de um terremoto em Marte
Créditos: Nasa/ Mars InSight Mission

Sonda InSight da Nasa faz o primeiro registro de um terremoto em Marte

Os cientistas estão investigando a possível origem do abalo sísmico

A sonda espacial InSight, que pousou em Marte no fim do ano passado, registrou um possível sinal de abalo sísmico no planeta vermelho. De acordo com a Nasa, o módulo espacial detectou traços do que seria um terremoto no planeta. Segundo a agência, este foi o primeiro vestígio de um possível tremor registrado em Marte na história.

"Este é o primeiro tremor registrado que parece vir do interior do planeta, comparado a outros causados por forças que estão em sua superfície, como o vento", explica a agência espacial dos Estados Unidos. O sinal foi capturado pelo sismógrafo da sonda no dia 6 de abril e os cientistas estão investigando a sua origem.

O sismógrafo Seismic Experiment for Interior Structure foi instalado na superfície de Marte em 19 de dezembro. Desde a data, já foram registrados outros sinais sísmicos, que também não tiveram sua origem desvendada e eram ainda mais ambíguos. Os dados coletados no começo do mês, porém, representam os primeiros passos no estudo da "sismologia marciana", segundo o pessoal da Nasa.

No nosso planeta, os terremotos são causados por falhas no solo vindas do movimento das placas tectônicas. No caso de Marte, porém, não existem registros da existência dessas placas, o que deixa as investigações mais complicadas. Uma das hipóteses é que as temperaturas baixas acabam contraindo as rochas, que eventualmente acabam se quebrando com o tempo e geram tremores.


Solo de Marte capturado pela InSight. Imagem: Nasa

A sonsa InSight chegou ao planeta vermelho no dia 26 de novembro e foi o primeiro pouso da Nasa em Marte desde 2012. Enquanto as missões anteriores tinham como objetivo explorar a superfície, o objetivo da missão atual é encontrar novas informações sobre o interior do planeta, o que vem dando certo, como os registros sísmicos indicam.

A missão da Nasa deve durar cerca de dois anos, ou seja, a agência ainda tem bastante tempo para descobrir mais detalhes sobre o vizinho da Terra. As informações coletadas sobre o solo e terremotos em Marte serão essenciais para a colonização do planeta, que já está nos planos da Nasa e também do dono da SpaceX, Elon Musk.

Via: El País
User img

Mateus Mognon

Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.