Julian Assange, fundador do Wikileaks, é preso pela polícia britânica na embaixada do equador

Julian Assange, fundador do Wikileaks, é preso pela polícia britânica na embaixada do equador

O atual governo de Quito decidiu retirar o asilo político concedido desde 2012

O fundador do site Wikileaks, Julian Assange, foi preso pela polícia britânica, na embaixada do equador, onde estava desde 2012. O governo de Quito, que é governado atualmente por Lenín Moreno, cancelou o asilo diplomático, a justificativa foi que ele "violou reiteradamente disposições expressas das convenções sobre asilo", segundo Moreno.

O esclarecimento do motivo pelo qual o governo de Equador decidiu fazer um acordo com Londres e permitir a entrada na embaixada foi divulgado pelo Twitter. Moreno publicou um vídeo onde explica a decisão, junto com o texto: "O Equador decidiu soberanamente retirar o asilo diplomático a Julian Assange por violar repetidamente as convenções internacionais e o protocolo de coexistência. #EcuadorSoberano"

Assange estava sob proteção do governo de equador desde 19 de junho de 2012, ele se refugiou na embaixada em equatoriana em Londres pois estava sendo investigado por estupro na Suécia, além da quebra de sigilo dos governos que foram alvo dos vazamentos. Quem concedeu o asilo foi o ex-presidente Rafael Correa, que se manifestou também pelo Twitter criticando a decisão de Moreno, chamou ele de corrupto e traidor disse também que a humanidade nunca vai esquecer esse ato e que ele é uma vergonha para Equador.

Essa imagem foi registrada por uma emissora de televisão, e registrou o momento em que Assange estava sendo levado pela polícia britânica, é possível ver uma grande barba branca, assim como o seu cabelo, muito diferente das fotos que mostram como ele estava antes de ir para a embaixada do Equador.

O governo equatoriano assegurou que no tratado com Londres estava explícito que Assange não pode ser extraditado (entrega de um suspeito de algum crime para outro governo) para um país que ele possa ser condenado à pena de morte, ou torturas. Apesar disso, já foi confirmado que a denúncia de estupro vai voltar a tona para ser julgada.

Continua após a publicidade

Julian Assange é um jornalista e escritor australiano que também tem nacionalidade equatoriana, ele é um dos nove membros do conselho do site Wikileaks. O site compartilha documentos, fotos e informações confidenciais, que são vazadas de governos ou de grandes empresas, e ganhou notoriedade depois de divulgar telegramas secretos do governo dos EUA em 2010, que continha informações sigilosas com críticas depreciativas sobre líderes mundiais, entre eles o presidente da Rússia, Vladmir Putin e a família real saudita.

O site também divulgou, no mesmo ano, mais de 90 mil documentos secretos, com detalhes sobre a campanha militar liderada pelos EUA no Afeganistão, além de 400 mil relatórios militares dos Estados Unidos com todas as informações sobre as operações no Iraque. Outros 250 mil telegramas confidenciais americanos foram publicados. Algumas pessoas afirmam que o site consolida a liberdade de imprensa e veem Assange como ativista, enquanto outros criticam, dizendo que a divulgação dessas informações põe em risco a segurança dos governos.

Via: oGlobo, El País
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.