15% dos britânicos já tentaram quebrar seus eletrônicos em ataques de frustração
Créditos: FixIT Repair Services/bluebus

15% dos britânicos já tentaram quebrar seus eletrônicos em ataques de frustração

Segundo a pesquisa, os entrevistados aguentam apenas 12 minutos antes de perder a calma

Uma nova pesquisa, encomendada pela Wiztek, fornecedora de suporte técnico on-line e móvel britânica, e realizada através do OnePoll, revelou que 47% da população admite não ter muito conhecimento quando se trata de resolver problemas de informática e tecnologia. Essa incapacidade (que é bem normal) acaba levando as pessoas a frustração (o que é bem normal também). O interessante sobre isso é um dado que essa pesquisa trouxe: 15% dos adultos desistiram de tentar e acabaram tentando destruir o dispositivo frustrante.

11/02/2019 às 09:09
Notícia

Pendrive é recuperado depois de quase dois anos congelado em ...

O dispositivo funcionou e foi possível recuperar imagens de outros leões marinhos

O estudo descobriu que quase oito milhões de britânicos quebraram aparelhos eletrônicos em ataques de raiva. Os resultados mostram que os entrevistados normalmente suportam 63 problemas com tecnologia por ano, e, ao tentar corrigir esses problemas, aguentam apenas 12 minutos antes de começarem a perder a calma.

Não suficiente, a pesquisa com 2.000 adultos descobriu que um terço ficou tão abalado com os problemas que comprou um dispositivo novo em vez de consertá-lo, e um quinto acabou brigando com parceiros e parceiras como resultado direto de seu telefone, computador ou outro eletrônico não estar funcionando direito.

"A tecnologia é parte integrante de nossas vidas - seja através de nossos trabalhos ou de nossas vidas domésticas (...). Assim, quando nossos dispositivos param de funcionar ou não funcionam como deveriam, isso se torna extremamente frustrante".

- Paul Amsellem, CEO da Wiztek.

Dos mais de 60 problemas enfrentados anualmente, a pesquisa descobriu que os entrevistados só resolveram com sucesso 14 deles sem ajuda. E ao tentar corrigir problemas de TI e técnicos, 3 em cada 10 revelaram que pioraram o problema. Então, talvez não seja de se estranhar que 3/4 tenham recorrido a outra pessoa para ajudá-los com um problema de tecnologia. Mas mesmo isso vem com risco - 1/4 admite que mais tarde se arrependeu de receber ajuda quando seus aparelhos foram devolvidos em um estado pior do que antes.

“As questões de tecnologia e computação são um campo minado - há tantas causas possíveis para os problemas cotidianos que até mesmo as pessoas mais conhecedoras podem ficar perplexas de vez em quando. O tempo de inatividade devido a problemas técnicos pode levar a muitas horas desperdiçadas e, na sociedade atual, onde estamos todos muito ocupados, o tempo custa dinheiro ”, acrescentou Amsellem.

A pesquisa ainda descobriu que 40% da população ficou incapacitada de trabalhar após problemas com equipamentos de TI. E 25% perderam arquivos importantes, como fotos de família e documentos importantes, como resultado direto de uma falha de tecnologia.

Continua após a publicidade

Confira abaixo o Top 20 de problemas tecnológicos que mais irritam as pessoas, segundo a pesquisa da Wiztek :

1. Internet lenta

2. Computador lento

3. Anúncios pop-up

4. Wi-Fi desconectando sem parar

5. Esquecer a senha

6. Downloads lentos

7. Atualizações de software tornando as coisas piores

8. "Não é possível fazer o login"

9. Impressora não funciona

Continua após a publicidade

10. Bateria do telefone morrendo rapidamente

11. Excluir algo importante acidentalmente

12. Apps caindo sem parar

13. "Paper jams"

14. 'Tela azul da morte'

15. Não ser possível abrir anexos de email

16. Continuar vendo "há um problema com o certificado de segurança deste site"

17. Tinta não imprimindo corretamente

18. Falha no disco rígido

19. Não lembrar onde armazenou arquivos/dados particulares

20. Ficar sem espaço no disco rígido

Fonte: ResponseSource, Shinyshiny, Fudzilla
User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.