Empresa de segurança posiciona Smart TVs como grande alvo dos cibercriminosos em 2019
Créditos: Digital Trends

Empresa de segurança posiciona Smart TVs como grande alvo dos cibercriminosos em 2019

De acordo com a ESET, hackers exploram engenharia social, vulnerabilidades e configurações ruins

A empresa especializada em segurança digital, ESET, divulgou um novo relatório onde destaca as Smart TVs como uma importante porta de acesso para cibercriminosos em 2019. Segundo a empresa, o considerável aumento no número de vendas desse tipo de produto resulta numa maior atratividade para os hackers.

09/01/2019 às 15:43
Notícia

Smart TVs da Sony, LG e Vizio vão oferecer suporte ao Air Pla...

Apenas os aparelhos da Samsung vão conseguir acesso ao iTunes para a compra de filmes

Para conseguir dinheiro com suas atividades, os cibercriminosos buscam informações que possam ser vendidas. Isso inclui tanto dados para extorquir as vítimas quanto o sequestro e o processamento dessas informações. Como as Smart TVs costumam abrigar dados sensíveis, elas se tornam um alvo mais atraente para hackers.

Site oficial: ESET

"O fato de que a maioria das smart TVs executam hoje alguma configuração baseada no Android, implica na criação de um ambiente no qual é mais fácil para os criminosos gerar códigos maliciosos capazes de afetar computadores de vários fabricantes, facilitando a transição de um malware"
- Denise Giusto Bilic, especialista em segurança de TI da ESET

Ainda de acordo com a ESET, é possível tomar algumas medidas para se proteger contra as ameaças de seguranças que afetam televisores inteligentes. Entre elas está a necessidade de uma solução de segurança com módulos capazes de prevenir infecções por malware.

Outra solução está na configuração dos dispositivos, que o usuário pode otimizar para maior segurança. Em televisores Android, dá para restringir o uso de aplicativos de origens desconhecidas e verificar a procedência dos apps que são baixados pela própria Play Store.

Para completar, sugere-se que os usuários reforcem a segurança de sua rede de internet doméstica ou corporativa e que tenha mecanismos de proteção física para equipamentos que estão em locais vulneráveis – como salas de espera.

"Embora as vulnerabilidades sejam corrigidas e os usuários sejam treinados para detectar fraudes, muitas TVs continuam a ser encontradas em espaços vulneráveis, como em locais onde podem ser acessadas fisicamente por terceiros - por exemplo, na sala de espera de um escritório ou em uma sala de estar. Em particular, portas USB podem ser usadas para executar scripts maliciosos ou explorar vulnerabilidades"
- Denise Giusto Bilic, especialista em segurança de TI da ESET

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

Microsoft expõe registros de suporte de 250 milhões de clientes por acidente

Microsoft expõe registros de suporte de 250 milhões de clientes por acidente

Erros de base de dados deixaram dados expostos a qualquer um com um navegador


Engenheiro cria super câmera que pode tirar fotos até de neurônios funcionando

Engenheiro cria super câmera que pode tirar fotos até de neurônios funcionando

Dispositivo também consegue capturar imagem de objetos transparentes


Garmin lança Tactix Delta, smartwatch feito seguindo padrões militares

Garmin lança Tactix Delta, smartwatch feito seguindo padrões militares

Relógio inteligente também traz diversas funcionalidades táticas


Hacker divulga senhas de mais de 500.000 servidores, roteadores e dispositivos IoT

Hacker divulga senhas de mais de 500.000 servidores, roteadores e dispositivos IoT

Todas as listas que o hacker vazou são datadas de outubro a novembro de 2019


Microsoft está tentando resolver problema de alto consumo de RAM e bateria do Chrome

Microsoft está tentando resolver problema de alto consumo de RAM e bateria do Chrome

A preocupação da companhia pode ter bastante relação com o seu próprio navegador Edge