A publicidade digital nos EUA está recebendo mais investimentos do que a tradicional

A publicidade digital nos EUA está recebendo mais investimentos do que a tradicional

Em 2018 o Facebook e o Google somados tiveram 60% dos anúncios digitais nos EUA

Pela primeira vez na história os investimentos com publicidade digital foram superiores aos da mídia tradicional nos EUA. O valor investido em 2019 para as propagandas digitais já alcançaram US$129 bilhões, enquanto o investimento nas mídias tradicionais (televisão, revistas, jornais) está em US$109 bilhões. As principais empresas que recebem os investimentos de propagandas digitais são o Google e o Facebook.

No gráfico acima é possível ver que em 2018 a mídia tradicional (na coluna preta) recebia cerca de US$6 bilhões a mais do que a digital (em vermelho). As projeções para o final de 2019 e para os próximos dois anos indicam que a propaganda digital vai ficar ainda maior. Até o fim de 2019 os investimentos feitos em propagandas digitais podem ser de até US$20 bilhões a mais do que nos meios tradicionais.

Apesar da ideia do meio digital democratizar o acesso, isso não acontece com a propaganda, já que a maior parte do investimento fica em apenas duas empresas. O Facebook e o Google ficaram com 60% dos anúncios digitais nos EUA em 2018, o valor arrecadado foi de US$65 bilhões. A estimativa é de que ao longo dos anos a participação de outras empresas seja maior, o esperado é que já em 2019  o Facebook e Google representem 59% do total de anúncios investidos.

Segundo a pesquisa, a empresa que mais vai ter crescimento nos investimentos é a Amazon, passando de 6,8% para 8,8%, alcançando o terceiro lugar em recebimento de publicidade (mesmo estando muito distante da segunda colocada). Enquanto empresas como a Microsoft e Google vão perder algumas publicidades, diminuindo a sua participação. Apesar da Google e o Facebook somados diminuirem 1% da participação quem vai "perder" é o Google, já que o Facebook promete ter aumento de quase 1% de propagandas em 2019.

Algumas empresas que dependem da distribuição do Facebook e do Google para receber acesso, como a Buzzfeed por exemplo, relatam estarem recebendo menos retorno de anunciantes. Ao que parece as duas empresas dominantes não tem o intuito de "dividir os investimentos" que são recebidos pelas publicidades.

Já nos meios tradicionais quem mais vai deixar de receber os anúncios são as mídias impressas, como jornais e revistas, a estimativa é que até 2020 tenha uma queda de 18% no investimento em anúncios para esses veículos nos EUA. 

A pesquisa foi feita pela eMarketer, que é uma empresa dos EUA especializada em pesquisa de mercado, e foi divulgada em fevereiro de 2019.

Via: recode
User img

Ana Luiza Pedroso

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.

HP anuncia três novos Chromebooks com foco em educação

HP anuncia três novos Chromebooks com foco em educação

Chromebook 11 G8 EE, Chromebook x360 G3 EE 11 e o Chromebook 14 G6 podem ser usados por alunos e professores


YouTube melhora proteção da privacidade das crianças

YouTube melhora proteção da privacidade das crianças

Mudanças anunciadas em setembro passado já começaram a ser implementadas


CEO da Google propõe regular inteligência artificial

CEO da Google propõe regular inteligência artificial "de forma sensata"

Executivo destacou que a tecnologia sempre possui partes boas e ruins


Facebook decidiu que não vai colocar anúncios na home do Whatsapp

Facebook decidiu que não vai colocar anúncios na home do Whatsapp

Empresa encerrou os planos de propagandas no app por tempo indeterminado


Microsoft está tentando resolver problema de alto consumo de RAM e bateria do Chrome

Microsoft está tentando resolver problema de alto consumo de RAM e bateria do Chrome

A preocupação da companhia pode ter bastante relação com o seu próprio navegador Edge