Análise: Motorola One - Vale a pena o smartphone com Android One?

Análise: Motorola One - Vale a pena o smartphone com Android One?

Estreante do sistema tem um preço que torna esse lançamento desinteressante

[+update]: Originalmente o aparelho chegou com o Android 8, porém logo após a publicação da análise saiu o update para a versão 9. Com ela o gerenciamento de aparelhos com entalhe na tela foi melhorado, o que tornou obsoletas algumas de nossas impressões com a interface, e a análise foi corrigida nesses pontos. Abaixo temos uma amostra de como ficou:

[texto original]: O Motorola One é um celular do segmento intermediário equipado com o sistema Android One, uma variante do sistema da Google que tem como objetivo garantir uma experiência mais consistente com o sistema do smartphone. Para garantir essa característica, o Android One não passa por modificações profundas que diversas fabricantes fazem no sistema operacional, garantindo um "Android Puro". 

Preços

Preço no lançamentoR$ 1.499,00 07/11/2018R$ 1.699,00 16/05/2018R$ 1.099,00 16/05/2018U$ 255,99 23/07/2018
Preço atualizadoR$ 1.030,00 12/12/2018R$ 1.400,00 12/12/2018R$ 900,00 25/09/2018U$ 219,99 22/09/2018

Ficha Técnica

FabricanteMotorola Motorola Motorola Xiaomi
Site oficialLinkLinkLinkLink

Display

Tamanho5,9 polegadas5,9 polegadas5,7 polegadas5.99 polegadas
Resolução720 x 1520 1080 x 2160 720 x 1440 1080 x 2160, 403 ppi
TecnologiaIPS IPS IPS LTPS IPS LCD
ProteçãoCorning Gorilla Glass Gorilla Glass 3 Corning Gorilla Glass 5

Câmera

Traseira13MP + 2MP Dupla 12MP + 5MP 13MP Dual 12MP / 20MP
Vídeos2160p@30fps, 1080p@60fps 1080p@30fps 2160p 30 fps, 720p 120 fps
Frontal8MP 8MP 8MP 20 MP
DetalhesAbertura de f/2.0 e f/2.4 Abertura f/1.7 + f/2.2 na traseira Abertura f/2.0 Traseira 12 MP (f/1.8, 1/2.9", 1.25µm) + 20 MP (f/1.8, 1/2.8", 1.0µm), PDAF, LED flash

Especificações

Sistema OperacionalAndroid 8.1 Android 8.0 (Oreo) Android 8.0 (Oreo) Android 8.1 (One)
ProcessadorQualcomm Snapdragon 625 Qualcomm Snapdragon 630 Qualcomm Snapdragon 430 Qualcomm Snapdragon 660
Número de núcleos8 8 8 8
Clock2.0 2.2GHz 1.4GHz 4x2.2 GHz + 4x1.8 GHz
GPUAdreno 506 Adreno 508 Adreno 505 Adreno 512
Memória RAM4 GB4 GB3 GB4, 6 GB
Armazenamento interno64 GB64 GB32 GB32, 64, 128 GB
Cartão microSDAté 256 GB Até 128GB Até 128GB NÃO
Bateria3000 mAh3.200 mAh4.000 mAh3010 mAh
Dimensões149.5 x 72.2 x 7,97 mm159,9 x 75,5 x 7,99 mm154,4 x 72,2 x 8,95 mm158,7 x 75,4 x 7,3 mm
Peso160 g165 g173 g168 g
Portas de conexãoUSB Tipo-C USB-C Micro-USB USB Tipo-C
REDE4G 4G 4G LTE
Tipo de cartão SIMNano-SIM Nano SIM Nano SIM Dual Nano-SIM

Recursos

Leitor de DigitalSIM SIM SIM SIM
ResistênciaNÃO NÃO
RadioSIM SIM SIM NÃO
Bluetooth4.2 5.0 4.2 5.0
Carregamento sem fioNÃO NÃO
NFCSIM SIM NÃO NÃO
GPSSIM SIM SIM A-GPS, GLONASS, BDS
ExtrasSistema Android One Acompanha capa protetora Acompanha capa protetora

Design e Tela

O Motorola One é um celular de tamanho intermediário. Apesar da tela de 5,8 polegadas ampla, as bordas finas nas laterais do display garantem que o aparelho não se torne excessivamente grande. O elemento que mais chama a atenção no design são a borda um pouco maior na base, onde foi posicionado o logo da Motorola, e um entalhe bastante notável no topo da tela.

O Motorola One traz um grande entalhe no topo da tela, e pouco foi feito para amenizar sua presença

A área do notch é tão extensa nesse modelo que sobrou pouco espaço nas "orelhas" que formam o restante da tela no topo. O resultado é que sobra pouquíssimo espaço para ícones no topo da barra de notificação, mostrando apenas o aplicativo mais recente a receber updates no lado esquerdo e cabendo apenas alguns status dos sensores do lado direito. Também senti falta de algum recurso para quem prefere ocultar o entalhe na tela deixando a barra de notificação preta.

A tela usa uma resolução HD+, com 720 x 1520, o que não chega a ser ruim mas está abaixo do que outros modelos dessa faixa de preço que já trazem o FullHD. Apesar da menor densidade de pixels, ela não chega a deixar a imagem com baixa definição, e é suficiente para o espaço de tela. O acabamento arredondado nas laterais segue a curvatura do próprio aparelho, criando um visual coerente.

Continua depois da publicidade

Acabamento em plástico nas laterais e resolução menor na tela são algumas das economias desse aparelho

Na construção temos o estilo dominante atualmente na indústria, especialmente no segmento intermediário e premium, mas com uma alteração: o acabamento metalizado nas bordas não é metal, e sim plástico, e só com o uso mais estendido para descobrir se não vai descascar. A traseira traz um vidro com câmeras pouco protuberantes e que já deixam de ficar exposta ao usar a capinha de borracha transparente incluída na caixa.

Câmera

O Motorola One é equipado com duas câmeras traseiras e uma frontal com 8MP e flash. A câmera adicional na parte de trás tem 2MP e não traz enquadramentos diferentes, como zoom ou lente grande angular. A função dela é atuar em conjunto com a primeira para criar efeitos de fundo desfocado, recurso que é mais que uma tendência de mercado, já parece inevitável a esse ponto.

O resultado das fotos não são o grande destaque desse aparelho. Em boas situações de luz, não tem erro: ele satura bem as cores, captura bem detalhes e entrega resultados ótimos. Porém é complicar um pouco mais a vida dele para que os resultados passem a piorar bastante, com cores lavadas, bastante granulação e um desempenho apenas regular, com modelos rivais se saindo melhor.

Continua depois da publicidade

O flash da câmera frontal é OK. Vai ajudar em uma situação muito ruim de iluminação, porém não espere milagres, pois só será capaz de iluminar objetos bem próximos ao smartphone e também tem uma luz "muito dura" tirando a naturalidade da iluminação da cena. Em geral, a qualidade da câmera frontal não é boa, granulando com facilidade e captando poucos detalhes. Só em locais bem iluminados é possível conseguir resultados positivos.

Performance

O Motorola One traz o processador intermediário Snapdragon 625 e 4GB de RAM, uma configuração com um bom balanço entre performance e consumo de energia (como verão mais na parte sobre autonomia). Apesar de eficiente, esse chip da Qualcomm já tem um bom tempo de mercado, sendo usado em aparelhos desde 2016 e começando a sentir "o peso do tempo". 

O desempenho do Motorola One é regular

No uso cotidiano o Motorola One tem desempenho suficiente para atividades como navegar na web, verificar redes sociais e usar múltiplos apps e alternar entre eles, tudo isso graças a quantidade generosa de RAM. Para outras situações como games dá para perceber que a performance gráfica não é alta, precisando baixar um pouco a qualidade gráfica em alguns games ou com eventuais lentidões e apps muito pesados. Para quem não é entusiasta de games pesados, não vai ter problemas e o Snapdragon 625 dá conta de todas as franquias mais populares.

A quantidade generosa de memória é um destaque do aparelho

Autonomia

Com um hardware intermediário e 3.000 mAh de bateria, o Motorola One entrega um excelente resultado quando o assunto é ficar longe da tomada. Em nossos testes, ele chegou a até 9 horas de tela acesa constante, entre os melhores resultados medidos em nossas análises. 

O uso combinado medido pelo aplicativo coincide com a experiência de uso. O smartphone garante um dia completo de uso, mas não é suficiente para dois dias exceto se você fizer um uso muito moderado do aparelho, então o ideal é carregar o aparelho todos os dias. 

A boa autonomia segura bem um dia completo de uso

Se faltar carga ao longo do dia, o carregador disponível na caixa é ágil. Em nossos testes conseguimos carregar 36% da bateria em 30 minutos, algo que segura mais quase 10 horas no ritmo de descarregamento em nossos testes.

Recursos e Extras

Apesar da proposta do Android One passar a ideia de um sistema sem alterações, a Motorola colocou algumas adições no sistema. Muitas delas são bem conhecidas e também bem interessantes. A principal é a presença de comandos por gestos para ações como destravar a câmera e acender o LED da câmera para atuar como uma lanterna.

A responsividade do aparelho também fica por conta do Moto Tela, recurso que acende o display quando percebe um movimento do celular e exibe um resumo das notificações mais recentes, a hora e o restante de bateria. Essa função é sempre bem-vinda, já que exibe as novidades mais relevantes sem a necessidade de destravar o aparelho, e uma rápida olhada para a tela dá pra saber se tem alguma novidade importante que demanda mexer no celular ou não.

Conclusão

O Motorola One é um bom aparelho, e tem um hardware que combinado funciona bem para um consumidor que quer um aparelho compacto, com visual interessante e quer achar um balanço entre os aparelhos muito "fraquinhos" do segmento de entrada e modelos mais caros e potentes do intermediário.

{notas}

O que complica a vida do Motorola One é que seu preço é totalmente incompatível com o que temos aqui. O Snapdragon 625 ainda é um processador que "dá um caldo", mas está presente em modelos intermediários de 2016. Tela HD não chega a comprometer a nitidez da imagem, mas tem muito aparelho dessa faixa de preço entregando FullHD. O sistema Android One garante que o aparelho tenha poucas mudanças no sistema operacional... algo que a Motorola já faz em seus produtos.

23/06/2018 às 19:00
Análise

Análise: Motorola Moto G6 Plus

Ótimo smartphone com excelente autonomia e câmera dupla

Quando você "espreme" esse aparelho, e compara com outros produtos com o Moto G6 Plus, fica evidente que ele perde em diversos aspectos. Ele traz um hardware mais potente, mais bateria e resultados melhores de autonomia e até o entalhe exagerado sai de cena. O Moto X4 também tem todas essas vantagens e ainda é à prova d'água e está custando R$ 1.2 mil. Em favor do Motorola One sobra apenas o formato mais enxuto e não ter mais a câmera tão protuberante, porém considerando todos os outros fatores, difícil imaginar que está valendo mais a pena pegar um Motorola One do que um Moto G6 Plus ou um Moto X4.

Análise: Motorola Moto X4

Difícil pensar em algum motivo que justifique pegar esse aparelho ao invés do Moto G6 Plus ou Moto X4

Por fim é no preço que tudo perde o sentido. Com custo sugerido de R$ 1.5 mil, ele chega na casa que é vendido o Moto G6 Plus e começa a passar "perigosamente perto" de caras como o Galaxy A8. 

O Motorola One não é um aparelho ruim. Tem um balanço interessante de especificações que o tornam um aparelho competente para uso cotidiano, atendendo muito bem a um consumidor que quer um bom celular mas não é entusiasta de ficar fazendo uso intenso do dispositivo ou fazer fotos. Se encontrado por valores mais competitivos, pode ser facilmente uma boa opção para quem um smartphone competente e não quer gastar muito, mas no valor atual ele não é a melhor opção do segmento, nem mesmo dentro do line-up da Motorola.

O Motorola One é um bom aparelho, mas precisa de um preço mais compatível com suas características
 

Huawei Mate P30 Pro pode ser equipado com sensor de imagem Sony IMX607 com 38MP [Rumor]

Huawei Mate P30 Pro pode ser equipado com sensor de imagem Sony IMX607 com 38MP [Rumor]

O smartphone deve vir com um jogo de câmeras traseiras tripla e flash duplo


Galaxy S10 Plus aparece com câmera quádrupla em anúncio de capa protetora

Galaxy S10 Plus aparece com câmera quádrupla em anúncio de capa protetora

Imagens praticamente confirmam que o smartphone virá com câmera dupla frontal


Lenovo anuncia seu novo notebook híbrido Yoga C930 por R$ 10.999

Lenovo anuncia seu novo notebook híbrido Yoga C930 por R$ 10.999

Fabricante aposta na qualidade do som tridimensional para chamar a atenção


Xiaomi deverá inaugurar nova linha

Xiaomi deverá inaugurar nova linha "Play" de smartphones ainda em dezembro

Assim como o Pocophone F1, se trataria de uma linha de smartphones acessíveis para gamers


Vivo Nex Dual Display Edition traz tela de 5,49

Vivo Nex Dual Display Edition traz tela de 5,49" na traseira e câmera tripla

Para compensar perda da câmera frontal, empresa decidiu por colocar grande display na parte de trás