Amazon, Apple e outras empresas dos EUA podem ter sido vítimas de espionagem da China

Amazon, Apple e outras empresas dos EUA podem ter sido vítimas de espionagem da China

Microchip teria sido encontrado em placas de servidores de mais de 30 companhias

Uma das maiores histórias de espionagem do mundo pode ter sido divulgada nessa semana. O pessoal da Bloomberg, uma das maiores redes de notícias que existe, está relatando que conseguiu informações de que uma fabricante de placas-mãe para servidores tem distribuído componentes com um microchip que permite a China espionar as empresas que usam as placas em suas redes.

Segundo a Bloomberg, a descoberta foi feita primeiro pelo pessoal da Amazon em 2015, quando a empresa estava adquirindo a Elemental Technologies. A equipe da Amazon Web Services (AWS) passou um "pente fino" pelos servidores da empresa para garantir sua segurança e, fontes da rede de notícias, relatam que a empresa encontrou um microchip nas placas-mãe que não fazia parte do seu design original e não deveria estar ali. Esse microchip tinha funções de recolher e enviar dados para fora dos servidores onde estivesse instalado, como um "backdoor".

06/08/2018 às 19:00
Notícia

Fabricante de processadores do iPhone é atingida por variante...

TSMC precisou desligar algumas fábricas no fim de semana, mas já voltou à normalidade

É importante destacar aqui que a Amazon oficialmente nega que tenha encontrado qualquer coisa na época, dizendo que É mentira que a AWS sabia de algum comprometimento na rede de suprimento, de algum problema com chips maliciosos ou modificações de hardware quando adquirindo a Elemental". Mas fontes diretas da Bloomberg relatam não só o achado, mas também que isso foi reportado para autoridades dos EUA que então começaram uma investigação, que segue até hoje.

Na investigação oficial foi descoberto que as placas-mãe tiveram seus componentes fabricados na China, onde o microchip deve ter sido incorporado, e depois montadas nos EUA por uma empresa chamada Supermicro. A estimativa é de que pelo menos 30 companhias usaram placas da Supermicro em seus servidores que podem ter o microchip "espião". Entre elas, até a Apple.

A fabricante do iPhone também nega que tenha encontrado qualquer irregularidade em placas da Supermicro, mas a empresa trabalhava com a fornecedora de placas-mãe e chegou a fazer um contrato para 30.000 servidores, que foi cancelado logo no ano seguinte. As fontes da Bloomberg afirmam que a Apple cancelou o contrato quando descobriu, também, o microchip estranho. As investigações seguem em aberto.

Fonte: Adrenaline
User img

João Gabriel Nogueira

João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline e o Mundo Conectado, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Testamos o ROG Phone 3!

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.