Tesla vende 200 mil carros, mas o futuro do Model 3 se torna incerto

Tesla vende 200 mil carros, mas o futuro do Model 3 se torna incerto

Empresa perde incentivos fiscais devido o aumento das vendas

A Tesla bateu uma marca histórica: a empresa vendeu 200 mil carros elétricos nos Estado Unidos. A conquista porém vem acompanhada de um problema para a empresa de Elon Musk, já que a empresa deixará de receber um incentivo fiscal de US$ 7.500, reduzindo muito sua competitividade em um mercado que vem sendo povoado por novos concorrentes.

As novas taxas de incentivo já estão publicadas no site da empresa, e mostram uma redução pela metade para o primeiro semestre do ano que vem, e nova redução pela metade novamente no segundo semestre de 2019 e se encerrando por completo ao final do ano. Além dos incentivos nacionais, a página lista também incentivos em diferentes estados e cidades.

25/04/2019 às 14:41
Artigo

Além da Tesla: Conheça as outras empresas de Elon Musk

Bilionário excêntrico diz passar 90% de seu tempo trabalhando na SpaceX e Tesla

É importante destacar que esse incentivo fiscal não abatia diretamente no preço do veículo. O consumidor recebia a possibilidade de abater nas taxas federais anuais, ou seja, era preciso pagar ao menos US$ 7.500 em taxas para tornar possível recuperar todo o incentivo fiscal. 

Com o modelo mais barato do Model 3 estimado para os próximos seis meses, é possível que poucos consumidores ou mesmo nenhum consiga aproveitar a isenção fiscal para o veículo de US$ 35 mil, já que o consumidor poderá usufruir do desconto apenas se receber o veículo antes do final do prazo. Sem o corte nas taxas federais, o modelo de baixo custo perde bastante de seu atrativo ao consumidor.

Tesla Model 3

Novos mercados
A Tesla está de olho em entrar em outro país. Elon Musk anunciou um acordo com autoridades chinesas para a construção de uma fábrica da Tesla em Xangai, a primeira da empresa fora dos EUA e que seria capaz de dobrar a capacidade de produção de Teslas.

Esse movimento é indispensável para manter a Tesla competitiva no mercado chinês, já que disputas comerciais entre Estados Unidos e China elevaram em muito as taxas de importação de veículos, fazendo o Model S custar 70% mais na China do que nos Estados Unidos. A fábrica terá capacidade de produção entre 200 a 300 mil veículos e irá dessa forma escapar das altas taxas de importação, que chegam a casa dos 40%, atualmente.

Via: CNet, Ars Technica, MarketPlace
User img

Diego Kerber

Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".

MAVIC AIR 2 - Uma análise de DRONE no PARAÍSO

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.