Imagem chamada

Intel leva interações em VR para obras do Smithsonian American Art Museum

Iniciativa também vai fornecer acesso em 3D a artes digitalizadas

A Intel e o Smithsonian American Art Museum (SAAM) se juntaram para tornar a experiência de visitação do museu em algo mais imersivo ao utilizar tecnologias de realidade virtual (VR). A companhia também vai colaborar com a instituição para digitlizar e proporcionar acesso em 3D para o acervo do SAAM.

A primeira experiência com a nova tecnologia será a exposição "No Spectators: The Art of Burning Man", da Galeria Renwick. De acordo com a Intel, o objetivo é expandir o projeto para todo o Smithsonian.

Site oficial - No Spectators: The Art of Burning Man

A empresa ainda pretende digitalizar todos os 157 milhões de obras e objetos, um processo pelo qual o SAAM já estava passando, mas que deve ser acelerado a partir de agora.

Ao utilizar processadores Intel Core de 8ª geração, plataformas na nuvem e outros recursos, o museu tem a meta de encorajar o acesso às suas obras 24 horas por dia e 7 dias por semana.

"Com a realidade virtual, serão criadas novas experiências e possibilidades avançadas para as pessoas explorarem e interagirem com o mundo ao seu redor. Visitas imersivas em museus vão se tornar rotineiras. Aproximar os mundos físico e digital no estudo da arte dos Estados Unidos nas salas de aula ao redor do mundo é apenas o primeiro exemplo do que é possível quando combinamos a paixão do Smithsonian pela educação com a inovação da Intel"
- John Bonini, Gerente geral de VR da Intel

User img

Carlos Felipe