Após banimento da ZTE dos EUA, China pretende aumentar sua produção de chips

Após banimento da ZTE dos EUA, China pretende aumentar sua produção de chips

Fabricante de smartphones chinesa foi proibida de usar componentes feitos nos Estados Unidos

Após a fabricante ZTE ser banida de utilizar componentes feitos nos Estados Unidos, a China estaria se preparando para aumentar a produção de semicondutores no país.

De acordo com fontes da Reuters, o governo chinês teve uma reunião com membros da indústria do país para acelerar os planos de produção de chips. O objetivo é evitar a dependência de empresas como Intel e Qualcomm, ambas com base nos Estados Unidos e que são donas de diversas tecnologias usadas em smartphones.

Segundo a Reuters, o governo chinês já tem a industria de semicondutores como foco e pretende ter produtos estabelecidos no mercado até 2025. O banimento da ZTE na semana passada acabou aumentando o grau de urgência dos planos.  

19/04/2018 às 10:46
Notícia

ZTE apresenta o smartphone gamer Nubia Red Magic, com Snapdra...

Mais um dispositivo para este crescente segmento

A fabricante de smartphones, que recentemente apresentou o Nubia Red Magic, não pode mais usar produtos feitos nos Estados Unidos em seus dispositivos móveis por manter relações comerciais com o Irã. Com isso, a companhia está proibida de usar processadores Qualcomm, modems Intel e pode perder até mesmo o sistema operacional Android.

As tensões entre o governo dos Estados Unidos e China também se estendem para outras marcas, como a Huawei, que sofreu boicote por parte de diversas operadoras norte-americanas e foi alvo de críticas do FBI e CIA.

Via: Reuters
User img

Mateus Mognon

Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

O fim do CANAL do RATO BORRACHUDO e o Dilema das Redes Sociais

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.