Imagem chamada

Cambridge Analytica, que usou dados do Facebook na campanha de Trump, está "vindo para o Brasil"

Diretor da empresa declarou que o Brasil faz parte dos planos da companhia

A Cambridge Analytica está sendo acusada de ter usado ilegalmente os dados de 50 milhões de usuários do Facebook durante a campanha de Donald Trump, nas eleições dos Estados Unidos de 2016. Com o ano eleitoral brasileiro chegando,  a empresa estaria interessada em vir para cá, segundo declaração do diretor da companhia.

Em um vídeo gravado secretamente pelo pelo Channel 4 News, do Reino Unido, Mark Turnbul, diretor da empresa de comunicação, diz que a Cambridge Analytica está mirando seus serviços para países como Brasil, China e também Austrália.

Na mesma gravação, Alex Tyler, chefe de dados da empresa, comenta que companhia já utilizou manipulação de dados em diversos países, incluindo os Estados Unidos, Malásia e México.


Segundo o jornal O Globo, a Cambridge Analytica manteve contato com a empresa brasileira Ponte Estratégia para trazer seus serviços para cá, e que três possíveis candidatos estariam interessados nos serviços da consultoria.

Durante o último fim de semana, a Ponte Estratégia suspendeu a parceria que mantinha com a Cambridge Analytica por causa das investigações no caso envolvendo os dados do Facebook.

Segundo Christopher Wylie, ex-funcionário da empresa, a Cambridge Analytica desenvolveu um teste de internet chamado "This is Your Digital Life", que foi utilizado como porta para coletar dados de 270 mil usuários do Facebook, além de amigos em suas listas de contatos, totalizando cerca de 50 milhões de pessoas. 

29/01/2018 às 10:35
Notícia

Bots russos retweetaram Donald Trump mais de 470.000 vezes du...

Hillary Clinton teve suas postagens compartilhadas 50.000 vezes no mesmo período


As informações foram utilizadas pela companhia para direcionar propagandas políticas de Donald Trump. A empresa conseguia enviar materiais específicos para cada tipo de perfil de usuário, que eram retirados de um banco de dados com mais de 175 mil mensagens personalizadas.

As eleições dos Estados Unidos foram marcadas pelos bots e hackers da Rússia que compartilharam mensagens, incluindo notícias falsas, para causar polarização durante o período de campanha. Segundo o Channel 4 News, as investigações agora buscam saber se existe alguma ligação entre os russos e as ações da Cambridge Analytica.

A empresa utiliza este tipo de estratégia para influenciar e "alterar" cenários eleitorais. Além de ter auxiliado na campanha de Donald Trump, a companhia também teria trabalhado de forma similar durante a campanha do Brexit, em 2016.

Com a repercussão do caso, o Facebook perdeu US$ 50 bilhões de valor de mercado em dois dias.

Via: O Globo

Assim como Gmail, Google Drive recebe novo design na versão web

O Material Design está tomando os serviços da Google


Windows 7 e 8 podem travar só de acessar um site, através de novo bug


Linhas de código revelam Windows Cloud, que pode ser concorrente para Chrome OS


Moeda Ether cai de US$ 1.389, recorde em janeiro, para US$ 548

Em período de 24 horas, moeda caiu e se estabilizou em US$ 530


Xiaomi Mi 7 pode ser o primeiro Android com reconhecimento facial estilo iPhone X

Sensor de profundidade permite identificar usuário mesmo com chapéus ou óculos