Imagem chamada

Correios querem acabar com frete grátis de produtos da China

Manobras das lojas chinesas representaria um custo anual de R$ 1 bilhão para a estatal

Os Correios estão buscando uma solução para o grande volume de encomendas chinesas que estão utilizando de manobras para pagar menos no envio. A empresa estatal acusa os lojistas chineses de trazerem um custo de R$ 1 bilhão ao ano para os Correios por optarem por serviços postais mais baratos para realizar a entrega dos produtos no país.

Correios afirmam que subsidiam as entregas do exterior nos métodos de envio mais baratos

Essa forma de envio traz uma serie de problemas como a impossibilidade de realizar o rastreamento do pedido, e de acordo com a empresa o uso de etiquetas fora dos padrões internacionais tornam o processo de entrega mais demorado, já que não é possível automatizar procedimentos com máquinas. A necessidade de um tratamento manual impacta negativamente em fatores como o tempo de entrega.

Em entrevista para o Valor Econômico, Guilherme Campos, presidente da estatal, afirmou que a empresa está em contato com autoridades em Pequim, buscando uma solução. Enquanto isso, os Correios planejam lançar ainda esse ano um mecanismo para realizar a cobrança dos consumidores, que irão pagar o custo do frete para realizar a entrega do pacote.

06/03/2018 às 11:28
Notícia

Mercado Livre consegue liminar na justiça para barrar aumento...

Apesar da vitória, decisão só vale para o Mercado Livre


De acordo com Campos, esse frete gratuito está criando uma espécie de "camelô eletrônico", importadores de produtos de baixo custo para revendê-los no Brasil. O resultado foi o crescimento em 200% na chegada de volumes diários no país, sendo compostos principalmente por itens como peças de vestuário, livros, eletrônicos e pequenos utensílios domésticos.

O movimento de oposição às lojas chinesas não é isolado aqui no Brasil. Em novembro um grupo de 11 congressistas enviaram uma carta ao US Postal Service e ao então secretário de estado, Rex Tillerson, alegando um subsídio dos serviços postais americanos devido às baixas taxas cobradas em alguns métodos específicos de envio de produtos, algo que foi chamado de "carona grátis", em matéria da Forbes. De acordo com a publicação, o envio de um produto da China para Nova Iorque tem um custo de US$ 3.66, enquanto realizar o mesmo envio no caminho reverso chega a custar US$ 50.

Fonte: Valor Econômico

Rumores do Moto Z3 Play e do Lenovo Z5, e atrasos dos Correios no Resumo da Semana!

Paraquedas para drones e operação da Anatel também foram assunto nessa semana


Greve dos caminhoneiros causa atrasos nos Correios e suspensão do Sedex

Os protestos contra o aumento no preço do combustível chegaram ao terceiro dia


Entregas feitas com drones devem se tornar realidade em breve na China

SF Holding Co recebeu permissão para utilizar drones de entrega


Cidade nos EUA quer cobrar taxa diária para usuários de drones domésticos e comerciais

Boulder City, em Nevada, cobraria US$ 25 ou US$ 100 por dia dependendo do uso do drone


Falamos sobre a morte de Stephen Hawking e o Google banindo propagandas sobre criptomoedas

Comentamos os principais assuntos da semana em nosso videocast semanal!