Imagem chamada

Inteligência artificial apaga bigode de Superman e supera equipe de efeitos visuais do filme

Serviço da IA custou apenas US$ 500 contra US$ 300 milhões da equipe de Liga da Justiça

Uma inteligência artificial superou o trabalho da equipe de efeitos visuais do filme Liga da Justiça ao remover digitalmente o bigode do ator Henry Cavill, que faz o papel de Superman. Um usuário do YouTube, chamado Deep Fakes, mostrou o resultado do apagamento do bigode do ator ao usar o software chamado deepfake, que faz mudanças no rosto de pessoas usando IA.

De acordo com o vídeo publicado por ele, foi preciso um computador de US$ 500 para fazer a edição. Um serviço muito mais barato do que os US$ 300 milhões usados pela equipe da Liga da Justiça. O resultado fez com que várias piadas aparecessem na internet questionando a pós-produção do filme, já que uma IA conseguiu fazer a mesma coisa de modo mais prático.

O vídeo abaixo mostra o resultado das imagens feitas pela IA comparadas com o efeito original do filme. No final há até um bônus onde o mesmo software deepfake coloca um bigode no ator quando ele estava de cara lisa.


Mas por que Henry Cavill não raspou o bigode? 
O que aconteceu foi que algumas cenas de Liga da Justiça tiveram que ser filmadas novamente. Nessa época, o ator não pôde raspar o bigode por causa de um contrato feito com a Paramount. Ele estava trabalhando em “Missão Impossível - Efeito Fallout", e a permanência do bigode até o fim das gravações estava prevista no contrato

Via: B9

Pesquisadores descobrem novo vidro que conserta sozinho com calor das mãos

Tecnologia pode ser o futuro das telas de smartphones!


Google vai encerrar o encurtador de links goo.gl em 2019

Serviço será substituído por nova tecnologia


iPhone X foi o smartphone mais vendido no primeiro trimestre de 2018

iPhone 8 e 8 Plus fazem parte do Top 3 de vendas


ESPN vai transmitir 2ª temporada de corridas de drone, mais rápidas e arriscadas


Nintendo Switch recebe aprovação da ANATEL e deve chegar em breve ao Brasil

Aprovação permite distribuição e garantia do console no país