Celular super-resistente? Testamos e derrubamos MUITO o Blackview BV800 Pro

Celular super-resistente? Testamos e derrubamos MUITO o Blackview BV800 Pro

Mantivemos um relacionamento abusivo com o smartphone pra ver se ele quebrava

Já se tornou um clássico de terror do século XXI: seu dispositivo altamente inteligente e conectado, com o que há de mais potente do mundo da tecnologia, mostra que ainda não é capaz de superar a boa e velha gravidade e acerta o chão, tornando todos os seus features em algo inútil. Se não bastasse a tela de vidro na frente, cada vez mais se popularizam as traseiras nesse material pouco "chão friendly".

Tem alternativa a isso? Uma solução muito comum é comprar uma capinha, onde a qualidade do design é inversamente proporcional ao grau de proteção, e se você quiser realmente garantir que seu smartphone vai aguentar um tranco, ele precisa virar praticamente um Walkie Talkie. Mas e se o seu aparelho já vier com resistência à pancada de fábrica?

Link de compra do Blackview BV800 Pro na GearBest

13/03/2018 às 15:07

Testamos o Blackview BV8000 Pro, um desses "tanques de guerra" equipado com o sistema Android e disponível no exterior com custo aproximado de 900 reais.  Além de seu porte avantajado (pesa 240 gramas, quase 100 gramas a mais que um iPhone 8) ele já deixa bem claro que é feito para "topar qualquer parada" ao ser o único aparelho que conheço que possui em alto relevo a inscrição "IP68", certificação que prova que esse aparelho é resistente à água e poeira. Isso beira ao brega, e parece uma versão impossível de tirar daqueles adesivos de especificações que vem em notebooks, mas dá uma ideia do quanto esse aparelho leva a sério sua resistência.

Ele leva tão a sério sua resistência que
tem a certificação gravada em baixo relevo na parte frontal


Ele traz uma chave de fenda cruzada (popularmente conhecida como chave Philips) porque... bem, você precisa dela para colocar o cartão SIM! O BV 8000 Pro parece um smartphone que já veio com uma capinha emborrachada parafusada do lado de fora. O resultado é um smarpthone grandalhão, mas com um acabamento bem mais encaixado que usar uma capa externa reforçada.

Mesmo após uma série de tombos e pancadas, várias da altura do bolso ou até do cotovelo, e também algumas mergulhadas na água, o aparelho continuou funcionando.  As marcas que surgiram na traseira e nas laterais são bastante discretas, quase imperceptíveis, enquanto a película que veio instalada no aparelho riscou bastante, mas a tela em si continuou intacta. Ele não é indestrutível, mas derrubamos ele acima da cota do que mesmo uma pessoa bastante desastrada faria. 


A proteção externa mandou bem na proteção, mas tem uma escorregada no design que não tem como deixar passar: as conexões. Se por um lado esse aparelho ganha uns pontinhos extras por dispensar portas protetoras para suas conexões, que podem ser expostas à água, a espessura adicional da estrutura emborrachada torna quase impossível ligar um cabo USB tipo-C ou um conector de de música P3 sem ser o que vem na caixa! Isso torna essas conexões universais nas conexões mais fora do padrão que já testei, já que criam uma espécie de USB tipo-C Blackview BV8000 Pro e fone P3 Blackview BV8000 Pro. Com raras exceções,  cabos de outros aparelhos, mesmo usando esses padrões, irão funcionar nesse aparelho!

A grande bizarrice do BV8000 Pro é que só o fone e o cabo USB que vem na caixa encaixam em suas portas de conexão

Por baixo do capô temos um hardware intermediário/alto no BV8000 Pro, com um processador Helio P20, um octa-core operando a até 2.6GHz e 6GB de RAM e 64GB de armazenamento. Esse hardware garante um celular ágil, capaz de lidar bem com programas e alternar de forma rápida entre apps, além de trazer bastante espaço para seus games e fotos. A tela FullHD traz uma resolução mais que suficiente, e seu maior problema acaba sendo a interface do Android, que foi bem modificada e tem um visual bastante datado nesse aparelho.

Vale a pena pegar um celular como esse? Como acontece com outros aparelhos que você importa da China, mesmo considerando possíveis taxas de importação que podem surgir no meio do caminho, esse modelo tem uma excelente relação entre custo e benefício, sendo um competente smarpthone do segmento intermediário/alto.



Ele tem algumas escorregadinhas como a interface meio datada e quase feiosa do Android e, principalmente, essa coisa totalmente sem noção de possuir conexões que dificilmente conectam com outros cabos, apesar de usar padrões como o P3 e o USB Tipo-C, falha que eu não consigo minimizar e que tem pleno potencial de se tornar uma "pedra no sapato" do consumidor em curto prazo.

Link de compra do Blackview BV800 Pro na GearBest

Ele pode não ser dos mais bonitos, mas definitivamente é resistente

Seu formato grande e pesado não pode ser ignorado, então é preciso estar pronto para abrir mão de ter um dispositivo compacto. Mas, se conseguir encarar ter um smartphonão como esse, sempre que abrir mão e acidentalmente derrubá-lo, você não vai ter nada a temer.

O PIXEL 4 e 4 XL SÃO OFICIAIS! Veja as PRINCIPAIS NOVIDADES

O PIXEL 4 e 4 XL SÃO OFICIAIS! Veja as PRINCIPAIS NOVIDADES

Novos celulares da Google apostam em reconhecimento de gestos, mais câmeras e tela de 90Hz


Xiaomi anuncia atualização de seus aparelhos para MIUI 11 a partir de 22 de outubro

Xiaomi anuncia atualização de seus aparelhos para MIUI 11 a partir de 22 de outubro

O update será distribuído em quatro fases começando em outubro e terminando em dezembro


Google Pixel 4 XL é lançado! Mesmo não aparecendo na transmissão do evento Made By Google

Google Pixel 4 XL é lançado! Mesmo não aparecendo na transmissão do evento Made By Google

O smartphone vem com mais bateria que a versão padrão e custa US$100 a mais


OFICIAL: Google lança Pixel 4 por US$ 799, mas cadê o Pixel 4 XL?

OFICIAL: Google lança Pixel 4 por US$ 799, mas cadê o Pixel 4 XL?

Novo celular tem conjunto de câmeras semelhante ao do iPhone 11 e pré-venda já começou


Google Pay agora permite compras com cartão de débito no Brasil

Google Pay agora permite compras com cartão de débito no Brasil

Não é mais necessário utilizar boleto ou pagamento por crédito