Rússia multa Google em quase R$ 2 bi por exibição de vídeos anti-Rússia

Agência de telecomunicação do país acusa vídeos anti-propaganda de terrorismo

Rússia multa Google em quase R$ 2 bi por exibição de vídeos anti-Rússia
Créditos: Divulgação/Google

A Roskomnadzor, agência de telecomunicações da Rússia (equivalente a brasileira Anatel), multou o Google em US$ 364 bilhões (aproximadamente 2 bilhões de Reais) por não remover vídeos "anti-Rússia" do YouTube. Os vídeos, que a Rússia acusa de promoverem também extremismo e terrorismo contra o país, visam combater a máquina de propaganda e fake news da Ditadura de Putin

15/07/2022 às 19:01
Notícia

Google Docs terá opção para assinatura eletrônica de documentos

Beta da assinatura digital do Google será liberado em breve para usuários do Google Workspace

Vídeos "anti-Rússia" desmentem narrativa de Putin

A informação sobre a multa aplicado ao Google, que é a última empresa de tecnologia dos Estados Unidos presente na internet da Rússia, foi divulgado no Telegram oficial da Roskomnadzor — que, mais que uma agência de telecomunicação, atua como censor das mídias do país. A Roskomnadzor acusa o Google de não remover conteúdo "desinformativo" sobre a "operação especial" na Ucrânia. "Operação especial" é como a ditadura russa (seguidora do putinismo) chama a guerra contra a Ucrânia, a quem Putin acusou de ser governada por "viciados em drogas e nazistas".

Os vídeos considerados "extremistas e terroristas" pela Roskomnadzor são aqueles que tentam mostrar a verdade sobre a guerra da Rússia contra a Ucrânia, contrariando as versões falsas da propaganda russa — cujo principal símbolo é a letra Z. Uma acusação parecida foi feita contra o Facebook e Twitter após as duas redes sociais não removerem vídeos anti-propaganda e confiáveis 


Trechos de vídeos de flashmobs e eventos para redes sociais com o objetivo de propagar o "Z" como símbolo de apoio à guerra contra a Ucrânia. Créditos: Reprodução/Vox.

Facebook, Instagram e Twitter bloqueados na Rússia

Facebook e Instagram foram banidas na Rússia semanas após o início da guerra pelo conteúdo "anti-Rússia". O Twitter sofre restrição de acessos. A Roskomnadzor chegou a anunciar que baniria o YouTube no país, mas 5 meses desde a invasão e isto não feito. É especulado que o motivo do YouTube ainda estar liberado no país é que a Rússia não conseguiria substituir a plataforma. A rede social VK pode fazer o papel de Facebook e Twitter na ditadura putinista, enquanto YouTube é uma rede complexa demais para ser substituída em pouco tempo. Além do mais, ela também pode servir de espaço para propaganda russa — visto o histórico da rede social em não seguir suas próprias políticas e demorar para remover conteúdos de desinformação. 

Fonte: Gizmodo

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.