Engenheiros constroem lançador que dispara projéteis a 10 Km/s

Equipamento desenvolvido por engenheiros canadenses simulará impactos de meteoritos

Engenheiros constroem lançador que dispara projéteis a 10 Km/s
Créditos: Divulgação

Engenheiros da Universidade McGill, no Canadá, e da Universidade Militar Real do Canadá publicaram um artigo científico sobre um equipamento capaz de lançar um projétil com uma velocidade de até 10 km/s (36.000 km/h). Apesar de envolver uma universidade militar, o estudo, publicado na revista científica Shock Waves, tem como objetivo auxiliar as pesquisas sobre o impacto de meteoritos em satélites e espaçonaves

09/07/2022 às 15:00
Notícia

Avião espacial militar misterioso quebra recorde de permanênc...

O X-37B está há mais de 781 dias em órbita; a missão OTV-6 ainda não tem prazo para ser encerrada

Simulações na Terra auxiliarão projetos espaciais

A velocidade com a qual os projéteis são lançados é extremamente próxima da velocidade de meteoritos e outros detritos espaciais. De acordo com Andrew Higgins, professor na Universidade McGill, a maioria das colisões acontecem com objetos a uma velocidade de 11 km/s. Ele explica que, apesar dos objetos na órbita baixa da terra terem uma velocidade de 8 km/s, as colisões acontecem em um ângulo de 90º — atingindo a velocidade de 11 km/s. Veja um GIF da colisão clicando aqui.

As simulações realizadas na Terra serão fundamentais para que agências espaciais desenvolvam espaçonaves, estações espaciais e satélites capazes de resistir aos impactos de mais de 36.000 km/h. Com os planos de missões tripuladas para a Lua e a sempre desejada exploração em Marte, é necessário que colisões com meteoritos não ponham em risco a vida dos astronautas.

O Escritório de Detritos Espaciais da Agência Espacial Europeia (ESA) diz que são rastreados 31.360 detritos com pelo menos 10 cm na órbita da Terra. Entretanto, é especulado que haja mais de 1 milhão de detritos medindo entre 1 cm e 10 cm e 130 milhões medindo entre 1 mm e 1 cm.

James Webb foi atingido por micrometeorito em junho

NASA divulgou no início de junho que um do espelhos do Telescópio Espacial James Webb foi atingido por alguns micrometeoritos. O impacto mais recente — e grave — aconteceu entre 23 e 25 de maio. Felizmente, o telescópio continua funcionando muitíssimo bem e não sofrerá problemas na captura de imagens.

Micrometeoritos são os menores meteoros que você pode imaginar. Eles medem o mesmo que um grão de areia e viajam muito mais rápido que um carro de Fórmula 1. MUITO MAIS RÁPIDO. Se cair na areia já te deixa ralado, imagine um grãozinho te acertando a uma velocidade na casa dos milhares de quilômetros por hora. Felizmente, o JWST é feito para aguentar esses impactos por um bom tempo. Mas os choques com os micrometeoritos vão reduzir o seu desempenho com o passar dos anos — e isso já é esperado. 

NASA revelou que os cinco impactos sofridos até agora não reduziram a capacidade operacional do James Webb (que, lembre-se: custou US$ 10 bilhões). O micrometeorito que causou o impacto mais grave afetou o segmento C3 (veja abaixo) do espelho principal e "furou" as previsões da equipe sobre o tempo de degradação do instrumento. Ainda assim, é um sustinho. JWST continuará sua operação por muitos anos. Ele foi projetado com uma margem alta de desempenho para garantir uma missão duradoura.

Fonte: Tweak Town

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.