Mistério dos raios gama na Via Láctea tem explicação proposta por cientistas da Austrália
Créditos: Reprodução/NASA/DOE/Fermi LAT

Mistério dos raios gama na Via Láctea tem explicação proposta por cientistas da Austrália

De acordo com pesquisadores, emissões poderiam ser causadas por pulsares de milissegundos advindos de estrelas de nêutrons

Há anos, cientistas estudam e tentam descobrir a origem dos intensos raios gama por dentro da Via Láctea, galáxia onde estamos localizados. Alguns dos registrados possuíam carga superior a 1 peta-elétron-volt e muitos pesquisadores acreditavam ser "assinatura" de energia escura, mas a explicação pode ser bem mais simples.

De acordo com um novo estudo, o fenômeno - conhecido como Excesso de GeV do Centro Galáctico (GCE) - poderia ser causado por pulsar de milissegundos de estrelas de nêutrons, conhecidas como os objetos mais extremos do universo depois dos buracos negros.

A recente pesquisa, feita por membros da Universidade Nacional da Austrália e publicada na revista Nature Astronomy, sugere que a causa dos raios gama seriam essas estrelas que giram em seu próprio eixo cerca de 100 vezes por segundo. A base para essa teoria ter ganho força é simples: a ideia da matéria escura tem componentes hipotéticos.

O GCE seria causado pela matéria escura caso a mesma fosse formada por uma série de elementos chamada WIMPS - Partículas Massivas de Interação Física - os raios gama na Via Láctea sugeririam sua existência, e não o contrário. Ainda não há qualquer comprovação de que os WIMPS estão realmente presentes no universo.

Estrelas de nêutrons com pulsar de milissegundos também emitem raios gama

Estrelas de nêutrons com pulsar de milissegundos também emitem raios gama e cientistas já detectaram o fenômeno em objetos próximos ao sistema solar.

Para construir a base do estudo que "culpa" essas estrelas pelo GCE, os autores criaram um modelo que confirmasse a compatibilidade entre as detecções na Via Láctea e os pulsares já conhecidos.

"Sabemos que esses objetos [estrelas de nêutrons] emitem raios gama", comentou Roland Crocker, professor da Universidade Nacional da Austrália e membro da equipe. "A emissão integrada de toda uma população dessas estrelas, cerca de 100.000, produziria um sinal totalmente compatível com o Excesso do Centro Galáctico.”

Mesmo tendo base em descobertas mais sólidas do que a matéria escura, ainda serão necessárias mais observações para comprovar a influência dos pulsares no GCE. Segundo Crocker, nossa galáxia vizinha Andrômeda também emite sinais de raios gama que parecem ser advindos das estrelas de nêutrons.

Continua após a publicidade

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Fonte: CanalTech
User img

Fabio Tarnapolsky

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.