110v ou 220v: por que a tensão elétrica é diferente em cada lugar?
Créditos: El Español

110v ou 220v: por que a tensão elétrica é diferente em cada lugar?

As vantagens e desvantagens são equilibradas

Um incomodo para quem vai viajar ou comprar eletrodomésticos pela internet, por exemplo, é tomar cuidado em saber qual o padrão de tensão elétrica do lugar: 110v ou 220v. Isso pode tanto incomodar por não alimentar seu dispositivo direito ou, no pior dos casos, queimar o seu aparelho. Mas, afinal, por que não temos um padrão único no Brasil inteiro? Por que temos padrões de tensão elétrica diferentes pelo país?

08/04/2022 às 10:22
Notícia

Conta de luz deve ficar até 20% mais barata após fim da bande...

Medida é válida a partir do dia 16 de abril e elimina cobrança adicional de R$ 14,20 a cada 100 mWh c...

As duas grandezas que regem o fluxo de energia elétrica são a tensão (ou, popularmente, voltagem), medida em volts, e a corrente, medida em amperes.A tensão, basicamente, é a força necessária para que a energia vá de um lado para o outro. Já a corrente pode ser descrita como o "volume" da energia. 

Santa Catarina, por exemplo, trabalha com 220v, enquanto o Paraná adotou o padrão de 110v. O detalhe curioso é que não existe uma razão técnica de ser assim. O principal motivo é a escolha histórica das empresas que assumiram a distribuição nesses lugares. Geralmente as empresas americanas e canadenses optavam por 110V e as europeias por 220V. Como a rede elétrica já estava montada e refazê-la era inviável, as coisas foram mantidas do mesmo jeito.

No Brasil ainda predominam as redes de 110v. O motivo, que também pesa na escolha entre as tensões elétricas em casa lugar, seria segurança, já que levar um choque de uma tomada de 220V é duplamente mais perigoso, mesmo que financeiramente possa não ser tão bom. E falando em dinheiro, uma rede elétrica de 110v é mais cara, pois precisa de fios mais grossos e recebe uma corrente elétrica maior. Caso os fios não sejam espessos o suficiente, é muito mais fácil colocar fogo em uma casa com a rede de 110v. 

No entanto, Gilberto Aguiar, ex-engenheiro eletricista das Centrais Elétricas de Santa Catarina, explica que diferentes tensões, de maneira geral, não trazem muitas vantagens ou desvantagens para o consumidor. Claro, se você usar um aparelho 110v em uma tomada de 220v, há grande chance dele ser danificado. No caso inverso, o dispositivo só não irá funcionar direito, pois está recebendo metade da tensão que deveria. Mas o preço da energia não depende disso, apesar de terem casos em que os 220v seriam uma escolha melhor - principalmente quando estamos falando de eletrodomésticos que precisam gerar uma quantidade maior de calor e, por consequência, gastam mais energia. 

Para explicar melhor: qualquer aparelho elétrico consome energia através do aparelho e dos fios. Se estamos falando de um chuveiro, por exemplo, a resistência no seu interior precisará da mesma energia para elevar a temperatura tanto a partir de 110v quanto de 220v. No entanto, o que realmente influencia no gasto dos aparelhos elétricos é o fio por onde a energia passa. Se a fiação de uma casa for dimensionada de acordo com os padrões atuais, aparelhos de 110 e 220V trarão o mesmo gasto. Mas o consumo nos fios depende da voltagem do aparelho, e se o aparelho funcionar a 110V, os fios gastarão quatro vezes mais energia do que se ele trabalhar a 220V.  

18/09/2021 às 14:07
Notícia

Piora da crise hídrica levou governo a pedir estudo sobre ret...

Apesar de resultado da ONS dizer que medida não trará mudança, proposta será discutida em audiência p...

Continua após a publicidade

Como explica Luiz Nunes de Oliveira, docente do Grupo de Física Teórica do Instituto de Física de São Carlos:

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Via: Gazeta do povo, IFSC | USP
User img

Saori Almeida

Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.