Agência Espacial Europeia adia missão em parceria com Agência Espacial Russa
Créditos: Divulgação/ESA

Agência Espacial Europeia adia missão em parceria com Agência Espacial Russa

Missão levaria rover europeu para Marte utilizando foguete russo para lançamento

Agência Espacial Europeia (ESA), anunciou que é "pouquíssimo provável" que a missão ExoMars 2022, realizada em parceria com a Roscosmos, agência espacial russa, aconteça neste ano. A ESA justificou o adiamento pelas sanções impostas à Rússia após a invasão à Ucrânia. É o segundo adiamento da missão desde 2020

28/02/2022 às 13:18
Notícia

Sonho acabado: Rússia destrói Antonov-255 Mriya, o maior aviã...

Ucrânia disse que cobrará da Rússia o custo de US$ 5 bilhões da reconstrução

Sanções impedem realização de parceria entre as agências

ESA explicou que as consequências das sanções, aliada ao contexto atual de conflito armado, não permitirão que a Rússia cumpra a parceria com a Europa. A agência europeia utilizará o foguete russo Proton para o lançamento da missão ExoMars 2022, a segunda etapa do projeto de exploração de Marte e que levará o primeiro rover europeu para o planeta vermelho.

Em 2016, na primeira etapa da missão, uma sonda espacial foi levada para o planeta. Ainda em 2016, a ESA enviou um equipamente de pouso para avaliar a tecnologia de pouso. O equipamento se chocou na aterrisagem. O rover carregado pela ExoMars 2022, batizado de Rosalind Franklin, terá como objetivo encontrar evidências de vida no passado de Marte. A viagem, que demorará 9 meses, foi adiada pela primeira vez em 2020 devido ao início da pandemia de Covid-19.

Diretor da Roscosmos falou sobre fim da parceria com a NASA

 

 

Na sexta-feira, Dmitry Rogozin, diretor da Roscosmos, disse que disse que as sanções na indústria aeroespacial russa impactariam a Estação Espacial Internacional (ISS). A Roscosmos desenvolveu o sistema responsável por corrigir a órbita da Estação Espacial. Esses propulsores controlam a altitude, posição e orientação da ISS, ajudando também a desviar a estação de lixo espacial e dar um impulso para que ela se mantenha em órbita. Rogozin declarou que se a Rússia "sair fora" do projeto, os Estados Unidos teriam um grande objeto podendo cair em alguns lugares do planeta sem controle nenhuma. A ISS não passa sobre a Rússia, mas sobrevoa a China, Estados Unidos e a Índia, por exemplo.

Continua após a publicidade

Caso a Roscosmos pule fora da parceria da ISS, não seria uma queda imediata da estação. Demoraria alguns anos, e até isso acontecer, a NASA teria desenvolvido seu próprio sistema. Atualmente, as espaçonaves de carga da Roscosmos são responsáveis por dar os impulsos, mas em abril a espaçonave de Cygnus, da empresa americana Northrop Grumman, realizará testes de impulsão na estação espacial. A Rússia também depende da NASA: a agência americana é responsável pela energia da ISS, e a Roscosmos não vai querer jogar fora seus módulos.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Fonte: AP News
User img

Felipe Freitas

Felipe Freitas é formado em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mas, segundo quase todo mundo, tem cara de quem fez Sistemas. Começou nos jogos com o SNES do seu tio, nunca passou da parte da montanha em Legend of Legaia e adora jogos com histórias bem feitas. Não perde a chance de fazer uma Jojo Pose.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.