Astrônomos se unem contra "poluição visual" causada por constelações de satélites
Créditos: NASA/Reprodução

Astrônomos se unem contra "poluição visual" causada por constelações de satélites

União Astronômica Internacional criou centro para dialogar com governos e empresas sobre o tema

No mês passado você viu aqui que as imagens astronômicas registradas por observatórios terrestres estavam sofrendo "interferência" de constelações de satélites. Agora a União Astronômica Internacional (UAI) decidiu dar um passo além de lamentos ou aceitar a situação. A UAI anunciou a criação do Centro para Proteção do Céu Escuro e Silencioso de Interferência de Constelações de Satélites (tradução livre de Center for the Protection of the Dark and Quiet Sky from Satellite Constellation Interference)

08/02/2022 às 16:35
Notícia

Starlink: veja preços da assinatura da internet via satélite ...

Com mensalidade de R$ 530 mais os custos de instalação, a internet de alta velocidade tem custo bem e...

Astrônomos buscam diálogo com governos e empresas

No anúncio da criação do Centro, Debra Elmegreen, presidente da UAI, destacou que é importante garantir que os avanços tecnológicos não impeçam os estudos do céu. O Centro terá como principal função dialogar com órgãos governamentais e empresas para que haja uma melhor regulamentação da indústria e que as fabricantes de satélites produzam equipamentos que causem menos interferência nas imagens capturadas nos observatórios da Terra.


Fonte: Caltech Optical Observatories/IPAC.

A Starlink foi a primeira empresa a buscar diminuir o seu impacto (negativo) nas imagens do espaço. Ouvindo a comunidade astronômica, a empresa instalou painéis nas novas gerações do satélite que atuam como um "óculos escuro", protegendo a luz de ser refletida pela antena.

Aumentam o número de imagens com constelações de satélites

 

Com a Starlink completando a sua constelação de satélites e mais outras empresas (como Amazon, Boeing e One Web), é esperado que "praticamente todas as imagens" de telescópios localizados na terra tenham a trilha de satélites em baixa órbita. Entretanto, o estudo que analisou o impacto nas fotos do espaço (feito pela Zwicky Transient Facility) pesquisou somente a aparição dos equipamentos da Starlink. Não por implicância com o Elon Musk, mas porque o serviço de internet da SpaceX é o mais avançado (sim, a coisa só tende a piorar), com mais satélites em órbita. Em 2019, 0,5% das fotos foram afetadas. Atualmente, são 20% das imagens.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Fonte: Gizmodo
User img

Felipe Freitas

Felipe Freitas é formado em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mas, segundo quase todo mundo, tem cara de quem fez Sistemas. Começou nos jogos com o SNES do seu tio, nunca passou da parte da montanha em Legend of Legaia e adora jogos com histórias bem feitas. Não perde a chance de fazer uma Jojo Pose.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.