Airbus entrega último A380 para companhia aérea Emirates
Créditos: Martin Dlugolinský/Pixabay

Airbus entrega último A380 para companhia aérea Emirates

Avião de dois andares fez primeiro voo comercial em 2007 pela Singapore Airlines

Airbus A380 chega ao fim oficial da sua produção neste dia, 16 de dezembro, com a entrega do seu último modelo para a Emirates, maior operadora da aeronave no mundo. Ao todo, foram 14 anos de fabricação e 251 aeronaves entregues, contando as três de testes. Apesar do fim da produção, o gigante de "dois andares" continuará voando por anos na Emirates e por algum tempo nas outras companhias aéreas.

10/11/2021 às 19:30
Notícia

Airbus realiza primeiro voo de helicóptero com combustível de...

Helicóptero Airbus H225 utilizou combustível feito de óleo de cozinha usado

Revelado ao mundo em 2005, o superjumbo com double-deck (nome da especificação de dois andares) foi a resposta — tardia — da europeia Airbus para o Boeing 747, avião com um deck superior na parte dianteira do avião. Ele leva, em média, 500 passageiros na configuração primeira classe, bussiness e econômica. Segundo a Airbus, ele pode levar até 853 em uma configuração de alta densidade.

O último A380 aterrissará em Dubai, sede da Emirates, na noite desta quarta-feira, por volta, horário de Brasília. Você pode acompanhar o voo por esse link. A companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos é a maior operadora do avião. Ao todo, são 121 A380 na frota e que não serão aposentados tão cedo. Devido a localização estratégica de Dubai, o A380 e sua capacidade de mais de 500 passageiros atende muito bem a empresa. (Veja como no próximo parágrafo). Air France e Lufhtansa aproveitaram a pandemia para adiantar a aposentaria dos seus A380, que consomem mais combustível devido aos quatro motores. Somente a British Airways continua operando o jumbo europeu no velho continente.


Fonte: Rudi Nockewel/Pixabay

Quebrando a quarta parede do jornalismo, trago aqui a memória de quando vi a notícia do seu primeiro voo no Jornal Nacional. "Uau! Os aviões ficarão cada vez maiores, é assim que serão os aviões daqui para a frente?". Não, não serão. Para a Airbus, o futuro da aviação seria o modelo hub and spoke, em que as companhias aéreas trabalhariam levando um grande número passageiros em um avião para o seu principal aeroporto. Deste lugar, eles seguiriam em avião menores para outros destinos, se necessário. Como Dubai está "no centro do mundo", o A380 funciona bem para a Emirates. Ela pode levar 500 passageiros de um país ocidental para sua sede, depois eles seguem em uma nova viagem para outros destinos no oriente, como Japão, Austrália ou Singapura.

21/09/2021 às 20:00
Notícia

Combustível do futuro: jato faz voo comercial abastecido com ...

Aeronave emitiu 62% menos dióxido de carbono se comparado com voos normais

Continua após a publicidade

Entretanto, a Airbus errou na pesquisa de mercado. O hub and spoke tem suas vantagens, mas aeronaves quadrimotores estão "morrendo" e o sistema ponto-a-ponto (sem escalas entre aeroportos) vem crescendo. O Boeing 747 foi um sucesso durante o seu reinado, mas desde a chegada do bimotor Boeing 777 (em 1995) ele foi perdendo espaço para o seu irmão mais novo. O A380 foi uma resposta tardia para o 747, mas a eficiência dos motores, a economia dos combustíveis, é algo muito valorizado pelas companhias. O "substituto" do superjumbo da Airbus será o A350, principal wide-body (aviões com dois corredores) da empresa.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

User img

Felipe Freitas

Felipe Freitas é formado em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mas, segundo quase todo mundo, tem cara de quem fez Sistemas. Começou nos jogos com o SNES do seu tio, nunca passou da parte da montanha em Legend of Legaia e adora jogos com histórias bem feitas. Não perde a chance de fazer uma Jojo Pose.

O novo império da Microsoft após a compra da Activision Blizzard

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.