Japão está tendo dificuldade para eliminar o uso de disquetes em órgãos públicos
Créditos: Reprodução/S Migaj/Unsplash

Japão está tendo dificuldade para eliminar o uso de disquetes em órgãos públicos

Regiões administrativas de Tóquio ainda utilizam mídia física para armazenar informações sobre funcionários

Embora os disquetes estejam fora da linha de produção há mais de 10 anos, o governo de Tóquio somente começou a eliminar o seu uso recentemente, de acordo com o veículo Nikkei. Meguro Ward, parte da região metropolitana de Tóquio, pretende fazer a transição do uso dos disquetes para plataformas online antes do fim do ano fiscal de 2021.

Chiyoda Ward, região localizada no centro de Tóquio, também planeja fazer uma transição do físico para o digital de forma semelhante a Meguro.

Yoichi Ono, responsável pelo gerenciamento de fundos públicos para Meguro Ward, justificou o apego à mídia física pelo fato de que os disquetes “quase nunca quebraram e perderam dados”. O setor de Yoichi há muito tempo utiliza os disquetes de 3,5 polegadas para armazenar e transportar fisicamente ao banco informações sobre pagamentos de funcionários públicos.


Reprodução/Fredy Jacob/Unsplash

26/10/2021 às 08:25
Notícia

Sony revela smartphone Xperia Pro-I com sensor poderoso de câ...

Apelidado pela empresa como "The Camera", novo smartphone é uma boa opção para vloggers

Mesmo após o fim da produção de disquetes, a quantidade de discos disponíveis no governo era grande, e por isso não se via sentido em investir tempo e dinheiro para atualizar os sistemas. 

Entretanto, em 2019, o Mizuho Bank informou que começaria a cobrar uma taxa mensal de 50.000 ienes (R$ 2.440,52 em conversão direta) pelo uso de mídia de armazenamento físico, incluindo disquetes. O banco relembrou o fim da produção dos disquetes e o custo de manutenção dos leitores de mídia física, além do risco da perda de dados.

Desde então, os funcionários têm buscado atualizar os sistemas. A região de Minato, por exemplo, alterou seus protocolos de pagamento para o formato online em 2019. Meguro, como citado anteriormente, pretende finalizar a transição até o fim do ano fiscal de 2021. Já Chiyoda busca reformar completamente seus sistemas até o ano fiscal de 2026.

Continua após a publicidade

De acordo com o chefe de contabilidade de Chiyoda Ward, Shogo Hoshina, o tempo para concluir a transição do físico para o digital ainda será grande. “Há muitas pequenas coisas que precisam ser tratadas em detalhes”, disse.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Via: Business Insider Fonte: Nikkei
User img

Iraci Falavina

Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Iraci é apaixonada por games,principalmente se tiverem uma boa história. Também se interessa por animes e cinema e não recusa uma boa xícara de chá. Editora-chefe do programa de jogos do curso, o Insira a Ficha.

Meta e o Metaverso: os planos de Zuckerberg para o futuro das redes sociais

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.