Mark Zuckerberg: "Facebook não prioriza lucro sobre segurança e bem-estar"
Créditos: Instagram/Reprodução

Mark Zuckerberg: "Facebook não prioriza lucro sobre segurança e bem-estar"

CEO respondeu as acusações de Frances Haugen de que a companhia mente para usuários

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, rebateu nesta quarta-feira (6) as acusações de Frances Haugen contra a companhia. Segundo Zuckerberg o Facebook "Não prioriza lucro sobre a segurança e bem-estar". Para ele, as acusações não fazem sentido e pintam uma imagem irreal da rede social. O CEO cita a atualização MSI (Meaningful Social Interactions), desenvolvida para mostrar menos conteúdos virais e mais publicações de amigos e família.

04/10/2021 às 19:12
Notícia

Queda dos serviços do Facebook fez com que Mark Zuckerberg pe...

Criador da rede social caiu na lista dos mais ricos do mundo

A controvérsia iniciou quando Frances Haugen,  antiga gerente de produtos do Facebook, acusou a companhia de ignorar suas próprias pesquisas em prol do lucroDurante testemunho ocorrido nesta terça-feira (5), Haugen, solicitou que as autoridades exijam mudanças do Facebook, além de afirmar que as decisões da empresa são desastrosas para as crianças, a privacidade e democracia. Segundo ela, Zuckerberg escolheu quais resultados métricas obtidas pela pesquisa aplicar, como o MSI, em detrimento de mudanças que iriam diminuir a desinformação. 

Zuckerberg se defendeu das acusações através de uma publicação oficial no Facebook, onde ele afirma que a companhia obtém lucro através de anúncios e os patrocinadores não querem conteúdo próximo à material agressivo ou repleto de desinformação. Portanto, segundo o CEO, as acusações de que o Facebook  prioriza conteúdo de ódio, ou polêmico não é verdadeira. Durante a postagem, Zuckerberg também comenta que as acusações sobre a pesquisa de como o Facebook afeta seus usuários foi descaracterizadas. O CEO relata que adolescentes, principalmente meninas, "sentem que utilizar o instagram as ajuda enquanto estão com dificuldades e problemas que adolescentes sempre enfrentaram". Já Haugen levou ao congresso documentos da pesquisa que apontam os efeitos negativos da plataforma encontrados durante a pesquisa do Facebook

Zuckerberg é categórico ao rebater as acusações, ao afirmar em seu comunicado oficial que a companhia preza pelo bem-estar de seus usuários. Para ele, além da companhia trabalhar para preservar a saúde e privacidade dos usuários, também não é verdade que as redes sociais são completamente responsáveis pela polarização ao redor do mundo.

Caso nosso objetivo fosse esconder os resultados, porque iríamos estabelecer um padrão de transparência líder na indústria para informar o que estamos fazendo? E se as redes sociais fossem responsáveis por polarizar a sociedade, como algumas pessoas afirmam, então porque estamos vendo a polarização aumentar nos Estados Unidos enquanto a curva de uso das redes sociais achata ou cai como em muitos países ao redor do mundo? - Mark Zucerberg, CEO Facebook 

 

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Fonte: Engadget
User img

Luiz Schmidt

Estudante de jornalismo na UFSC. Amante de games, anime, manga e cultura japonesa. Gosta de escrever histórias de horror nas horas livres e sonha em publicar um livro.

Compramos um iPhone Fake e tivemos uma surpresa

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.