"Apodrecimento de links": como a informação se perde com o tempo
Créditos: Reprodução/Iraci Falavina

"Apodrecimento de links": como a informação se perde com o tempo

Pesquisadores da Harvard Law School descobriram que cerca de 25% dos links dentro de artigos do New York Times estão "mortos"

22/05/2021 às 08:30
Notícia

Microsoft revelou a atualização que irá acabar com o Internet...

Empresa anunciou que um update futuro será o responsável para desabilitar o navegador no Windows 10

Uma equipe de pesquisadores da Harvard Law School divulgou os resultados de uma análise feita em parceria com o jornal The New York Times. O estudo descobriu que cerca de um quarto dos hyperlinks do The New York Times levam a páginas que estão inacessíveis, impossibilitando o acesso de alguns conteúdos.

A pesquisa analisou mais de 550.000 artigos que continham, por sua vez, mais de 2,2 milhões de links externos. Entre essa quantidade de links, 72% direcionavam o usuário para uma página específica, e não para um site geral. 

Os resultados possibilitaram diagnosticar que, quanto mais antigo, maior a probabilidade de um link “morrer”; 6% dos links dentro de artigos de 2018, por exemplo, estavam indisponíveis, enquanto 72% dos links presentes em textos de 1998 levavam a páginas já inexistentes.

O gráfico a seguir foi elaborado pelos pesquisadores e publicado na revista The Columbia Journalism Review. Ele demonstra os dados de “apodrecimento de links” ao longo do tempo.


Reprodução/The Columbia Journalism Review 

Embora a análise tenha sido feita com os conteúdos do The New York Times, esse foi um exemplo de um fenômeno comum na internet como um todo. Os links externos geralmente são utilizados para complementar a informação, seja desmentindo boatos falsos ou contextualizando.

Entretanto, com esse tipo de “apodrecimento”, os usuários que visitarem esses links terão acesso apenas a uma página vazia, ou ainda a páginas não relacionadas que substituíram a anterior. O BuzzFeed News fez, em 2019, uma reportagem sobre casos desse tipo.

Continua após a publicidade

Segundo o BuzzFeed, existe uma indústria clandestina que compra e vende links “mortos” para usuários independentes, que acabam deturpando o conteúdo original da página ao anunciar produtos ou ainda zombar do link original.

Para prevenir esses casos, alguns sites como a Wikipedia solicitam que os colaboradores registrem uma página em arquivos digitais como o Wayback Machine. Além disso, o projeto Perma.cc busca recuperar links mortos de trabalhos acadêmicos e afins.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Mundo Conectado para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Fonte: The Verge, Columbia Journalism Review
User img

Iraci Falavina

Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Iraci é apaixonada por games,principalmente se tiverem uma boa história. Também se interessa por animes e cinema e não recusa uma boa xícara de chá. Editora-chefe do programa de jogos do curso, o Insira a Ficha.

Instalando SSD no PS5 [SHORTS]

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.