Navio encalhado no Canal de Suez pode agravar crise econômica global
Créditos: Airbus Space

Navio encalhado no Canal de Suez pode agravar crise econômica global

O gigantesco Ever Given continua preso

O Canal de Suez é um dos principais pontos de conexão entre Ásia e Europa pelo mar, mas um navio chamado Ever Given, com tamanho similar ao Empire State Building, está trancando a via marítima desde terça-feira (23). A embarcação da empresa Evergreen ficou encalhada no local após uma forte tempestade de areia e a peculiar situação pode desencadear mais problemas para a crise global trazida pelo coronavírus.

Com cerca de 190 quilômetros, o Canal de Suez garante uma passagem rápida entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho, garantindo aos países europeus um acesso ao Oceano Índico sem a necessidade de contornar o continente africano. Diariamente, cerca de 50 embarcações passam pelo local, que é rota de 12% de todo o comércio mundial.


(Imagem: Maritime Vessel Traffic/Wall Street Journal)

O bloqueio causado pelo navio está fazendo as empresas esperarem na beira do Canal de Suez ou escolher outras rotas, que são mais demoradas, caras e até perigosas -- alguns dos locais são pontos conhecidos de pirataria, o roubo de embarcações. Segundo a empresa Refinitiv, uma viagem entre Roterdã, na Holanda, até o Egito normalmente dura 11 dias pelo Canal de Suez. O mesmo trajeto feito pelo Cabo da Boa Esperança, na África do Sul, leva aproximadamente 26 dias.

Mais combustível ou multa por atraso

Para realizar trajetos maiores, as empresas de transporte marítimo estão gastando mais dinheiro em combustível. Dependendo do tamanho da embarcação, as taxas podem chegar em US$ 30 mil por dia, garantindo um prejuízo de até US$ 800 mil em certos casos, de acordo com o Estado de S.Paulo.


(Imagem: Autoridade do Canal de Suez/Reuters)

Em alguns casos, as empresas optam por economizar no combustível e pagar multas de atraso. A taxa pela demora na entrega normalmente varia de US$ 15 mil a US$ 30 mil por dia, o que pode sair mais barato que dar a volta no continente africado.

Independente da escolha do capitão, as viagens ficarão mais caras durante os próximos dias, o que pode agravar a crise econômica global.

Consequências

Segundo a BBC, a fila de navios esperando no canal de Suez faz o transporte de diversos insumos, desde commodities até alimentos e animais, como grãos e gado. Segundo estima a Lloyd's List, aproximadamente US$ 9,5 bilhões em bens são transitados diariamente nos contêiners que passam pelo Canal de Suez. 

Continua após a publicidade

O Wall Street Journal aponta que as viagens mais demoradas podem encarar o preço por contêiner e deixar as viagens marítimas mais caras, principalmente nas rotas para a Europa. Como o local também é um dos principais pontos de transporte de combustível, o valor do petróleo também subiu 6% na quarta-feira por causa do fechamento do canal.

Segundo especialistas, a crise deve se agravar se o canal ficar fechado por mais de cinco dias. Como o navio ainda está encalhado, pode ser que alguns dos efeitos trazidos pelo acidente sejam mais duradouros.

Via: G1, Wall Street Journal
User img

Mateus Mognon

Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

MI 11 PRO e ULTRA! TUDO sobre os NOVOS celulares da XIAOMI

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.