Google ameaça bloquear buscas na Austrália se tiver que pagar por notícias
Créditos: Reprodução/Android Authority

Google ameaça bloquear buscas na Austrália se tiver que pagar por notícias

Projeto do governo australiano também pode afetar o Facebook

De acordo com informações da agência de notícias Reuters, a Google afirmou nesta sexta-feira que poderá bloquear seu mecanismo de busca na Austrália caso o governo não modifique seu projeto que tem como objetivo obrigá-la a pagar às empresas de comunicação pelo direito de uso de seu conteúdo, como notícias. Este projeto do governo australiano também pode afetar o Facebook.

08/01/2021 às 22:18
Notícia

"Coronavírus" e "auxílio emergencial" for...

Pesquisas relacionados a pandemia foram os principais temas buscado pelos usuários

A ameaça da Google é a etapa mais recente em sua batalha com empresas de conteúdo como a News Corp, que está sendo observada de perto em todo o mundo. A gigante das buscas já havia avisado que seus 19 milhões de usuários australianos enfrentariam efeitos negativos nas pesquisas e nas experiências no YouTube caso o projeto siga em frente.

Basicamente o governo australiano está trabalhando para aprovar leis que fariam as gigantes da tecnologia negociarem pagamentos com editores locais e emissoras para conteúdo incluído em resultados de pesquisa ou feeds de notícias. Se eles não conseguirem chegar a um acordo, um intermediário nomeado pelo governo decidirá o valor a ser pago.

"Juntamente com o risco financeiro e operacional incontrolável se essa versão do Código se tornar lei, nós não teríamos escolha a não ser parar de disponibilizar o Google Search na Austrália", disse Mel Silva, diretora-geral da Googla para Austrália e Nova Zelândia, a um comitê do Senado. Ela não mencionou o YouTube em sua declaração, já que o serviço de vídeo deverá ser isento de acordo com as revisões do código no mês passado.

Governo australiano está trabalhando para aprovar leis que fariam as gigantes da tecnologia negociarem pagamentos com editores locais e emissoras para conteúdo incluído em resultados de pesquisa ou feeds de notícias.

Se o projeto for aprovado pelo governo australiano, a Google e o Facebook poderão pagar milhões em multas em caso de infração. As ameaças da Google não foram bem recebidas, com o Primeiro Ministro Scott Morrison dizendo que “o país faz suas próprias regras para o que você pode ou não fazer na Austrália”. "Para pessoas que querem trabalhar com isso na Austrália, vocês são muito bem-vindos. Mas não gostamos de ameaças", disse Morrison.

Um projeto similar foi implementado na França e a Google precisou fechar um acordo com a Alliance de la Presse d'Information Générale (Apig), que representa jornais diários nacionais e regionais. O acordo fechado nesta semana entre a Google e a Apig define como a empresa negociará os acordos individuais de licenciamento de conteúdo com os membros da organização. Como parte deste acordo os jornais também poderão acessar o programa de remuneração News Showcase da Google, que paga por uma seleção de conteúdo.

Continua após a publicidade

Google ameaça bloquear buscas na Austrália se tiver que pagar por notícias
Google Search - mecanismo de busca pode ser bloqueado na Austrália pela Google
(Reprodução/Fabio Rosolen)

O Google criticou o código australiano e disse que sem revisões, oferecer até mesmo uma ferramenta de pesquisa limitada seria muito arriscado. Vale destacar que os anúncios em pesquisa são os pontos que mais contribuem para a receita e lucro global da empresa. A nova legislação foi anunciada pela Austrália em dezembro passado depois que uma investigação descobriu que a Google e o Facebook detinham muito poder de mercado na indústria de mídia. No entendimento do governo australiano, isso representa uma ameaça potencial à uma democracia em bom funcionamento.

Fonte: G1, NewsDay
User img

Fabio Rosolen

Celular GAMER barato? Testamos o Black Shark 4, o custo-benefício da Xiaomi

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.