Novo CEO da Intel pretende superar a Apple e criar processadores melhores que o M1
Créditos: Gordon College

Novo CEO da Intel pretende superar a Apple e criar processadores melhores que o M1

Executivo sente obrigação de fazer produtos melhores do que uma empresa de "estilo de vida"

A Intel tem um novo CEO que já mostrou estar descontente com os dribles que a empresa tem levado da concorrência ultimamente - especialmente da Apple. Pat Gelsinger só começa oficialmente no cargo em fevereiro, mas já participou de uma reunião recente da empresa onde deixou bem claro que não vai se conformar com uma empresa tão tradicional no ramo dos processadores e componentes para PC ficando para trás de uma companhia abrangente como a Apple.

Gelsinger não chamou a Apple diretamente pelo nome, mas "a empresa de Cupertino" já é um jeito comum de se referir à Apple. E o momento da fala deixa mais evidente ainda de onde vem a indignação do executivo: uma das novidades mais importantes do mundo da tecnologia no ano passado foi a chegada do Apple M1, processador de fabricação própria da maçã.

,

11/11/2020 às 10:02
Notícia

Apple apresenta sua linha de computadores equipados com o pro...

Novo SoC marca a estreia dos núcleos ARM em vez de Intel em nova parceria da Apple

Com a criação de um processador próprio, a Apple abriu mão de parcerias justamente com a Intel, que era a empresa que fabricava as CPUs dos Macs e outros produtos da maçã. E, para adicionar insulto à injúria, o M1 está se saindo um tanto melhor que diversos processadores da Intel nos quesitos performance e eficiência energética.

Esse grande baque da Apple veio num dos piores momentos para a Intel, que está enfrentando uma concorrência acirrada com outras companhias que crescem no segmento de processadores, inclusive uma velha rival que há anos não lhe dava problemas: a AMD.

Depois de aproveitar anos de dominância completa no segmento de processadores para PCs domésticos, especialmente os voltados para jogos, a Intel agora sofre com um crescimento exponencial da AMD desde a chegada dos primeiros Ryzen de sua concorrente. É claro que a presença da Intel ainda é quase hegemônica nos PCs domésticos - a empresa não perderia anos de liderança da noite pro dia - mas seu espaço está diminuindo cada vez mais, perdendo não só no custo x benefício, mas até na corrida pela melhor performance em alguns segmentos.

Via: Adrenaline Fonte: The Verge
User img

João Gabriel Nogueira

João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline e o Mundo Conectado, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Celular GAMER barato? Testamos o Black Shark 4, o custo-benefício da Xiaomi

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.