"Sol artificial" sul-coreano gera 7 vezes mais energia que núcleo solar
Créditos: SlashGear

"Sol artificial" sul-coreano gera 7 vezes mais energia que núcleo solar

O reator KSTAR manteve a temperatura do plasma acima de 100 milhões de graus Celsius, enquanto o núcleo solar alcança cerca de 15 milhões de graus Celsius

O reator coreano KSTAR, também conhecido como “sol artificial”, alcançou um novo recorde ao conseguir manter a temperatura do plasma em mais de 100 milhões de graus Celsius por 20 segundos. Esse resultado é cerca de sete vezes mais potente do que a energia liberada pelo núcleo solar, de 15 milhões de graus Celsius.

Embora ainda seja um desafio manter a liberação de energia por mais tempo, esse já um passo promissor na direção de aprimorar em laboratório uma fusão nuclear controlada; esse seria um método eficiente de geração de eletricidade e um avanço para o objetivo da autossuficiência energética.

31/12/2020 às 13:55
Notícia

Boston Dynamics coloca seus robôs pra dançar Do You Love Me? ...

"Agora que eu sei dançar, você me ama?" - perguntam os assustadores robôs do futuro

O KSTAR alcançou um bom resultado em 2018, quando conseguiu manter a temperatura do plasma acima de 100 milhões graus Celsius, embora tenha sido por apenas 1,5 segundo

Já no ano seguinte, o tempo de retenção foi de oito segundos, e por fim, o recorde de vinte segundos em 2020 — até então, nenhum dispositivo havia passado dos dez segundos. Os cientistas envolvidos como o KSTAR almejam conseguir manter a temperatura por ao menos cinco minutos até 2025.


Korea Institute of Fusion Energy/Reprodução

O salto de tempo de oito para vinte segundos se deve, em partes, às melhorias no desempenho do modo de Barreira de Transporte Interno (ITB), que auxilia no confinamento e estabilização do plasma.

A fusão nuclear ocorre quando dois ou mais núcleos atômicos se unem e formam outro núcleo, de maior massa. Esse processo libera energia em uma quantidade muito maior do que a liberada em fissões nucleares, que já são utilizadas em usinas para gerar eletricidade. 

Continua após a publicidade


New Atlas/Reprodução

O problema da fusão, como relatado anteriormente, é que ela ainda não pode ser totalmente controlada. Outro objetivo do projeto é atingir uma eficiência em que o reator forneça mais energia do que consome

O reator KSTAR é uma das contribuições da Coreia do Sul para a pesquisa de fusão nuclear do Reator Termonuclear Experimental Internacional (ITER), que está sendo construído no sul da França. 

As descobertas do experimento KSTAR conquistadas em 2020 também serão compartilhadas na Conferência de Energia de Fusão da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA), programada para maio de 2021.

Fonte: New Atlas, Galileu, CNN Brasil, Korea Institute of Fusion Energy
User img

Iraci Falavina

Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Iraci é apaixonada por games,principalmente se tiverem uma boa história. Também se interessa por animes e cinema e não recusa uma boa xícara de chá. Editora-chefe do programa de jogos do curso, o Insira a Ficha.

MI 11 PRO e ULTRA! TUDO sobre os NOVOS celulares da XIAOMI

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.