DJI rebate ao ser colocada na lista de sanções dos EUA: “Não fizemos nada”

DJI rebate ao ser colocada na lista de sanções dos EUA: “Não fizemos nada”

Ainda não se sabe como a empresa vai substituir seus componentes que vinham de companhias dos EUA

Na última sexta-feira (18), o Departamento de Comércio dos Estados Unidos adicionou a fabricante de drones DJI à sua “Lista de Entidades”, a qual enumera empresas que estão proibidas de comercializar com corporações americanas, a não ser com uma licença. Nesta terça-feira (23), a DJI deu uma resposta à situação.

A fabricante de drones já havia se pronunciado no mesmo dia da sanção, mas agora publicou uma declaração mais elaborada. No tweet, a empresa diz o seguinte:

A DJI não fez nada que justificasse a inclusão na Lista de Entidades. Sempre focamos na construção de produtos que salvem vidas e beneficiem a sociedade. DJI e seus funcionários continuam comprometidos em fornecer aos nossos clientes a tecnologia mais inovadora do setor. Estamos avaliando opções para garantir que nossos clientes, parceiros e fornecedores sejam tratados de forma justa.

 

18/12/2020 às 16:38
Notícia

DJI, assim como Huawei, entra na lista negra dos EUA

Principal acusação envolve "violações dos direitos humanos", segundo o Departamento de Comé...

Com esta decisão, as empresas com sede nos Estados Unidos que desejem exportar hardware ou software para a DJI necessitam enviar pedidos de licença de transações, algo que é um pouco complicado de obter.

Na sexta-feira, a DJI respondeu a um pedido de comentário do site Tech Crunch e anunciou que continuaria vendendo seus produtos. Veja a manifestação completa abaixo:

Continua após a publicidade

A DJI está decepcionada com a decisão do Departamento de Comércio dos EUA. Os clientes na América podem continuar a comprar e usar os produtos DJI normalmente. A DJI continua comprometida em desenvolver os produtos mais inovadores da indústria que definem nossa empresa e beneficiam o mundo.

 

Sobre isso, até onde se sabe, esta medida do governo dos Estados Unidos não terá um impacto imediato sobre a disponibilidade dos drones da DJI nas lojas nos EUA. No entanto, ainda não se tem notícia de como a DJI pretende substituir seus componentes.

Entre as peças que vinham de empresas sediadas nos Estados Unidos, tem-se as câmeras térmicas da FLIR Systems, o processador Ambarella que é encontrado em vários drones DJI e um chip Intel no drone DJI Spark, já fora de linha.

Fonte: Drone XL
User img

Iraci Falavina

Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Iraci é apaixonada por games,principalmente se tiverem uma boa história. Também se interessa por animes e cinema e não recusa uma boa xícara de chá. Editora-chefe do programa de jogos do curso, o Insira a Ficha.

Samsung GALAXY S21, S21 PLUS e S21 ULTRA lançados: confira os PRINCIPAIS DESTAQUES

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.