Apple vai pagar R$ 600 milhões para finalizar investigação sobre baterias

Apple vai pagar R$ 600 milhões para finalizar investigação sobre baterias

Empresa fez acordo com os 34 estados que a processaram por limitar o desempenho dos iPhones com bateria danificada

Nos últimos anos a Apple vem tendo alguns problemas com a justiça, um desses principais imbróglios é sobre o escândalo das baterias dos iPhones antigos. O processo foi movido por 34 estados que acusaram a gigante da tecnologia de ocultar dos proprietários suas práticas de limitar o desempenho de iPhones com baterias danificadas.

30/12/2019 às 18:06
Notícia

Apple é processada por causa do sensor do Apple Watch usado p...

Empresa é acusada de violar a patente 7.020.514, que descreve como monitorar "ritmos irregulares de p...

Agora a Apple concordou com os estados, liderados por Arizona, Arkansas e Indiana, a fazer um acordo de US $ 113 milhões, aproximadamente R$ 600 milhões em conversão direta, para encerrar a investigação. 

A reclamação, apresentada na quarta-feira, acusou a Apple de enganar o seus consumidores sobre suas atualizações dos iOS utilizando notas técnicas complicadas sobre o gerenciamento de bateria. O procurador-geral do Arizona alegou que a empresa usou “atos e práticas enganosas” para impulsionar suas vendas.

Além disso a reclamação afirmou que as práticas da empresa também passou a impressão de que para lidar com o problema das baterias, o usuário teria que comprar um novo iPhone.

Veja mais sobre o novo iPhone 12.

Essa é o segundo acordo firmado pela Apple este ano. Em março a empresa concordou em pagar U$ $ 500 milhões, aproximadamente R$ 2.6 bilhões, para resolver ações judiciais por desacelerar modelos de iPhone, mas a empresa negou que tenha praticado qualquer irregularidade.

Continua após a publicidade

16/11/2020 às 14:29
Notícia

Apple e Google se juntam a grupo para o desenvolvimento da re...

Novos celulares das empresas recém ganharam suporte ao 5G e agora as empresas estão se preparando par...

Os problemas relacionados a limitação de bateria começaram a surgir pela primeira vez em dezembro de 2017, na época a Apple afirmou que a limitação era necessária para melhorar a experiência do usuário em dispositivos com desempenho degradado da bateria. Porém isso não ficou transparente com as atualizações do iOS, que acabou gerando em uma ação coletiva contra a empresa.

Junto ao acordo de hoje está incluído o compromisso da empresa de tornar claras suas práticas sobre a integridade da bateria e gerenciamento de energia por meio de notificações on-line e no dispositivo.

Embora já tenha realizado isso em uma atualização de 2018 para o iOS, a empresa deixou a informação ocultada nas configurações dos dispositivos dos usuários.

Via: Neo Win Fonte: The Washington Post
User img

Willian Vieira

Willian Ferreira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina em 2019 e começou a estudar Sistemas na Estácio. Desde criança é um aficionado por games, essa paixão acabou despertando o interesse na área de tecnologia. Joga de tudo um pouco, mas tem uma preferencia para jogos de ação, FPS e Fable.

BLACK FRIDAY: DICAS para COMPRAR uma SMART TV!

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.