Cão-robô Bittle arrecada mais de 3 milhões de reais
Créditos: Indiegogo

Cão-robô Bittle arrecada mais de 3 milhões de reais

O cãozinho tem o tamanho da palma de uma mão e sabe fazer truques como animais de verdade

A Indiegogo lançou um dispositivo que prova ser possível unir STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática). A novidade é o Bittle, um cão-robô do tamanho de um palmo e que já arrecadou mais de US$ 611.000 ou mais de 3 milhões e duzentos mil reais no Indiegogo.

 

Bittle serve como um mascote que não exige alimentação ou banhos e ainda pode fazer truques. Ele apresenta uma estrutura interligada, semelhante a um quebra-cabeça 3D, com partes do corpo simétricas para simplicidade e estética. Toda a unidade pode ser configurada do zero em quase uma hora, tornando-a relativamente fácil de usar. 

Indiegogo/Reprodu

Também é possível aprimorar suas funções e design adicionando módulos extensíveis. Para tornar esta instalação conveniente, a cabeça do Bittle é projetada como um clipe para um aperto firme. O orifício do parafuso ao redor da cabeça permite a fixação de módulos adicionais.

 

O Bittle se move com quatro pernas, onde o movimento das pernas lhe dá a liberdade de navegar por terrenos não estruturados. Geralmente, esse tipo de manobrabilidade só é visto em robôs de luxo. 

Continua após a publicidade

Ele usa 9 servos P1S para atuar, onde 8 são para articulações de caminhar, enquanto o outro é para panorâmica da cabeça. Além disso, ele pode se lembrar de dezenas de padrões de movimento instintivos e pode realizar truques mais sofisticados com instruções em tempo real.

 

Com os genes de código open-source, o Bittle é uma plataforma aberta para unir dispositivos de vários fabricantes em um sistema orgânico. O Bittle roda em NyBoard V1, uma placa Arduino customizada com periféricos ricos onde o chip é totalmente utilizado para coordenar movimentos sofisticados.

Além disso, ele também armazena a memória muscular e detecta o estado do corpo para estabilidade. Esta unidade vem com um controle remoto infravermelho para acionar movimentos básicos de comandos de cordas, como "caminhar" ou "sentar". 

 

O Bittle pode ser personalizado por meio da placa Arduino para coordenar todos os movimentos instintivos e sofisticados, encaixando vários sensores para trazer a percepção à realidade.

Ele também pode ser injetado com recursos de inteligência artificial montando um Raspberry Pi ou outros chips de IA por meio de conexões com ou sem fio. O Raspberry Pi dá ao Bittle a capacidade de analisar dados sensoriais, conectar-se à Internet e tomar decisões por si mesmo.

Continua após a publicidade

 

Fonte: GizmoChina
User img

Iraci Falavina

Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Iraci é apaixonada por games,principalmente se tiverem uma boa história. Também se interessa por animes e cinema e não recusa uma boa xícara de chá. Editora-chefe do programa de jogos do curso, o Insira a Ficha.

BLACK FRIDAY: DICAS para COMPRAR uma SMART TV!

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.