Astrônomos europeus identificam estrela sendo engolida por buraco negro
Créditos: Notícias ao Minuto

Astrônomos europeus identificam estrela sendo engolida por buraco negro

O vídeo mostra o raro fenômeno conhecido como "espaguetificação"

Telescópios do European Southern Observatory (ESO) capturaram o raro flash de luz de uma estrela moribunda quando ela foi destruída por um buraco negro supermassivo. Este raro "evento de interrupção da maré", que cria espaguetificação nas estrelas conforme elas se estendem, é o evento mais próximo conhecido, localizado a 215 milhões de anos-luz da Terra. 
 
Para se ter uma noção, o sistema estelar mais próximo da Terra, Alpha Centauri, está a aproximadamente 4 anos-luz de distância, e a Via Láctea tem aproximadamente 200.000 anos-luz de diâmetro. Um ano-luz é a distância que a luz viaja em um ano, cerca de 6 trilhões de milhas (10 trilhões de quilômetros). 


 

Matt Nicholl, conferencista e pesquisador da Royal Astronomical Society no Universidade de Birmingham, no Reino Unido, disse em uma declaração do Observatório que "a ideia de um buraco negro 'sugando' uma estrela próxima parece ficção científica. Mas isso é exatamente o que acontece em um evento de interrupção da maré". 
 
Matt Nicholl é o autor principal de um novo estudo sobre a espaguetificação de estrelas. Os pesquisadores viram o evento em ação usando vários telescópios, incluindo o Very Large Telescope e o New Technology Telescope do ESO.
 
Thomas Wevers, co-autor do estudo, comunicou que "quando uma estrela azarada vagueia muito perto de um buraco negro supermassivo no centro de uma galáxia, a atração gravitacional extrema do buraco negro fragmenta a estrela em finos fluxos de material".

22/08/2020 às 10:52
Notícia

Conheça o RoBeetle, besouro robótico que pode viajar mais de ...

O pequeno dispositivo pode carregar até 2,6 vezes o seu próprio peso

 

Wevers é um parceiro do ESO em Santiago, Chile, e estava no Instituto de Astronomia da Universidade de Cambridge do Reino Unido quando fez o trabalho. 
 
Segundo funcionários do Observatório Europeu, foi difícil ver esses eventos no passado porque o buraco negro que está devorando a estrela tende a disparar material da estrela moribunda, como poeira, que obscurece a visão. Para maior eficiência, o evento foi analisado logo após a estrela se despedaçar.

Os pesquisadores estudaram o evento, conhecido como AT 2019qiz, ao longo de seis meses, conforme o sinalizador tornou-se brilhante e depois desapareceu. As observações ocorreram em comprimentos de onda ultravioleta, ótica, de raios X e de rádio. 

Créditos: Space.com

Continua após a publicidade

Olhar para o evento desta forma abrangente mostrou como o material deixa a estrela e a chama que a estrela envia como seu suspiro de morte, disseram os pesquisadores.
 
A equipe também estimou o tamanho da estrela condenada com aproximadamente a mesma massa do nosso próprio sol. Para a estrela, entretanto, não houve chance contra o buraco negro, que tem uma massa de mais de 1 milhão de vezes a do sol.
 
O evento AT 2019qiz também atua como um termômetro para aprender sobre como a matéria se comporta no ambiente extremo em torno de buracos negros supermassivos, disse a equipe. Um estudo baseado na pesquisa foi publicado no Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Fonte: Space.com
User img

Iraci Falavina

Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Iraci é apaixonada por games,principalmente se tiverem uma boa história. Também se interessa por animes e cinema e não recusa uma boa xícara de chá. Editora-chefe do programa de jogos do curso, o Insira a Ficha.

40 ATALHOS do WINDOWS 10 para você virar um EXPERT no SISTEMA OPERACIONAL

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.