Wyss Institute e Sony criam pequeno robô cirúrgico inspirado em origami
Créditos: Reprodução/Wyss Institute/Universidade Harvard

Wyss Institute e Sony criam pequeno robô cirúrgico inspirado em origami

Ele foi 68% mais preciso do que uma ferramenta controlada à mão durante um teste de traçado microscópico

Pesquisadores do Wyss Institute, da Universidade Harvard, criaram em colaboração com a Sony um robô cirúrgico muito menor do que outros robôs deste tipo. Eles se inspiraram em origami, a tradicional arte de criar outras formas dobrando papel, para construir o centro remoto em miniatura do manipulador de movimento (ou "mini-RCM"), que é do tamanho de uma bola de tênis e pesa quase o mesmo que uma moeda de um centavo.

22/08/2020 às 10:52
Notícia

Conheça o RoBeetle, besouro robótico que pode viajar mais de ...

O pequeno dispositivo pode carregar até 2,6 vezes o seu próprio peso

O membro associado do corpo docente do Wyss Institute, Robert Wood, e o engenheiro da Sony Hiroyuki Suzuki construíram o mini-RCM usando uma técnica de fabricação desenvolvida no laboratório de Wood. Os materiais são posicionados em cima uns dos outros e depois cortados com um laser de uma maneira que lhes permite formar uma forma 3D - mais ou menos como um livro pop-up infantil. Três atuadores lineares controlam os movimentos do mini-RCM em várias direções.

"As capacidades técnicas únicas do laboratório de Wood para fabricar micro robôs levaram a uma série de invenções impressionantes nos últimos anos, e eu estava convencido de que ele também tinha o potencial de fazer um avanço no campo dos manipuladores médicos", disse Suzuki, que começou a trabalhar com Wood no mini-RCM em 2018 como parte da colaboração Harvard-Sony. "Este projeto foi um grande sucesso".

A equipe criou uma forma de paralelogramo para servir como a estrutura principal do robô e depois fabricou três atuadores lineares (mini-LAs) para controlar seu movimento: um paralelo ao fundo do paralelogramo que o levanta e abaixa, um perpendicular ao paralelogramo que o gira, e um na ponta do paralelogramo que se estende e retrai a ferramenta em uso. O resultado foi um robô muito menor e mais leve do que outros dispositivos microcirúrgicos desenvolvidos anteriormente.


Mini-RCM desenvolvido no Wyss Institute em colaboração com a Sony
Reprodução/Wyss Institute/Universidade Harvard

Em um teste de traçado microscópico, os pesquisadores descobriram que o mini-RCM foi 68% mais preciso do que uma ferramenta controlada à mão. O robô também completou com sucesso uma versão simulada de um procedimento preciso no qual um cirurgião "insere uma agulha através de um olho para injetar uma substância nas pequenas veias na parte de trás do globo ocular". O mini-RCM foi capaz de perfurar um tubo de silicone que replicava a veia da retina sem causar danos.

Provavelmente vai demorar algum tempo até que o mini-RCM esteja realmente pronto para uso real. Devido ao seu tamanho e peso, ele seria mais fácil de ser implementado do que muitos outros robôs cirúrgicos, já que alguns deles ocupam uma sala inteira. Os pesquisadores também sugerem que seria mais fácil removê-lo de um paciente se houvesse alguma complicação durante um procedimento.

Via: Engadget Fonte: Wyss Institute
User img

Fabio Rosolen

RTX série 30: confira as TECNOLOGIAS que chegam com as novas placas de vídeo da Nvidia

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.