Google e AMD estão testando criptografia de dados armazenados em nuvem em tempo real
Créditos: Reprodução/ Google e AMD

Google e AMD estão testando criptografia de dados armazenados em nuvem em tempo real

Os processadores EPYC da AMD estão sendo usados para melhorar a segurança de dados

Leitura Rápida

  • A Google e a AMD anunciaram que estão começando a testar os processadores EPYC no Google Compute Engine
  • A principal vantagem é a criptografia de dados em tempo real
  • Enquanto os usuários estão enviando as informações, elas já serão criptografadas, melhorando a segurança dos usuários
  • Esse sistema ainda está na versão beta, ainda na fase de testes

O Google Compute Engine vai começar a ser equipado com processadores EPYC de segunda geração. Esses são os dispositivos de mais alta capacidade que são disponibilizados pela AMD. As empresas vão trabalhar como parceiras nas Máquinas Virtuais Confidenciais (VMs). As VMs Confidenciais são desenvolvidas para que os clientes criptografem os seus dados, enquanto eles ainda estão sendo processados.

15/07/2020 às 20:25
Notícia

AMD revela CPUs Ryzen Threadripper Pro de até 64 núcleos para...

Em parceria, Lenovo irá lançar seu ThinkStation P620 com um Threadripper Pro 3995WX7

O mais comum é que a criptografia dos dados aconteça quando eles estão parados, ou quando estão sendo enviados. A Google Cloud e a AMD está propondo que a segurança seja feita enquanto essas informação estão sendo enviados pelos usuários, em tempo real. Assim, os usuários aproveitam os recursos de segurança das CPUs EPYC, para que as informações sejam computadas com maior confidenciabilidade.

A Google investe consideravelmente em seus servidores de nuvem. A empresa oferece diversos serviços relacionados com o armazenamento de dados dos usuários. Isso é válido desde os documentos que são salvos no Drive, até as imagens que são colocadas no Google Fotos. Para essa imensa quantidade de dados, é necessário que os hardwares da empresa tenham grande capacidade. Para isso, foi escolhidas as CPUs EPYC, que podem ser empilhadas e usadas em conjunto.

"No Google Cloud, acreditamos que o futuro da computação em nuvem mudará cada vez mais para serviços privados e criptografados, nos quais os usuários podem ter certeza de que a confidencialidade de seus dados está sempre sob seu controle. Para ajudar os clientes a fazer essa transição, criamos as Confidential VMs, o primeiro produto em nosso portfólio de computação em nuvem do Google Cloud."
- Vint Cerf, representante da Google.

Além da criptografia em tempo real, as VMs oferecem virtualização criptografada segura (SEV). Esse sistema usa uma chave, que é gerenciada pelo próprio processador, que apresenta formatos de segurança aprimorados. Outro recurso presente é o "Lift and Shift Confidentiality". Ele é usado para simplificar a transição para as máquinas virtuais. Usando o modelo de Lift and Shift os usuários não precisam fazer alterações no código de seus aplicativos.

Os processadores AMD EPYC já estão presentes em mais de 120 tipos de VMs em todo o mundo. Atualmente, os CPUs estão disponíveis para o Google Compute Engine na versão Beta. Apesar disso, já são usados em diversas regiões do mundo, como no sudeste da Ásia, no oeste da Europa e em alguns lugares centrais dos EUA.

É esperado que essa tecnologia atenda necessidades principalmente de empresas, que precisam trocar informações confidenciais em tempo real. Com trabalhos sendo feito a distância, a necessidade de troca rápida de informações fica cada vez mais importante para diferentes companhias. Assim, as informações vinculadas pelo Google ficam mais seguras. 

Via: Adrenaline, VideoCardz
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

MAVIC AIR 2 - Uma análise de DRONE no PARAÍSO

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.