Governo dos EUA libera US$ 84,4 milhões para pequenas empresas de drones e segurança
Créditos: DIvulgação/ Skydio

Governo dos EUA libera US$ 84,4 milhões para pequenas empresas de drones e segurança

Esse auxílio é para ajudar as fabricantes se manterem ativas durante o período de crise

Leitura Rápida

  • O governo dos EUA está oferecendo um total de US$ 84,4 milhões para sete empresas de segurança, drones e robótica do país
  • A intenção é dar uma ajuda durante o período de crise, causado pela pandemia de Covid-19
  • Sete empresas foram beneficiadas, dentre elas, cinco são de drones

O governo dos Estados Unidos anunciou recentemente que está liberando US$ 84,4 milhões para fabricantes de equipamentos de segurança, drones e robótica do país. Uma das principais beneficiadas é a Skydio, uma das concorrentes da chinesa DJI. Segundo o The U.S. Department of Defense, esse dinheiro é de um fundo de apoio à empresas afetadas pela crise causada pela pandemia de Covid-19. 

13/07/2020 às 16:43
Notícia

Skydio X2 é a nova linha de drones para uso industrial e mili...

Modelos estarão disponíveis no último trimestre do ano com novo controle, software e app

O montante total é dividido entre sete empresas, de pequeno e médio porte. Segundo representantes do órgão responsável pela liberação do dinheiro, "essas ações ajudarão a manter os recursos críticos da força de trabalho durante toda a interrupção causada pelo COVID-19 e a restaurar alguns empregos perdidos devido à pandemia".

A decisão é apoiada no Defense Production Act (DPA), que prevê que o governo dos EUA deve auxiliar nos negócios de empresas que fornecem peças chave para a segurança. Um estudo de 2018 mostrou como os drones podem ser usados para aprimorar o monitoramento e segurança dos cidadãos. Geralmente, os modelos usados são provenientes de empresas pequenas, que poderiam estar em risco durante esse momento de crise.

Foram beneficiadas sete empresas, sendo que cinco delas são de drones e robótica. Dentro deste segmento, a que mais recebeu recursos foi a Skydio. Ela é, também, uma das empresas mais conhecidas fora dos EUA, da lista. Os valores ficam entre US$ 1,5 milhão, até US$ 4 milhões para essas companhias. 

Empresas de drones beneficiadas:
Skydio
- recebeu US$ 4 milhões. O destino do investimento será para “melhorar o hardware / software e o link de dados do controlador de voo para seus sUAS, para que componentes altamente capazes possam ser comprados e usados em sistemas não tripulados do governo dos EUA”.
AirMap - recebeu US$ 3,3 milhões. O dinheiro enviado será usado para "ajudar no desenvolvimento de produtos e o suporte de engenharia à integração do planejamento da missão sUAS, análise pós-missão e software de gerenciamento de tráfego não tripulado".
ModalAI - recebeu US$ 3 milhões. O uso será destinado para "desenvolver seu controlador de voo de última geração fabricado nos EUA, que permitirá autonomia avançada, incluindo navegação negada por GPS e prevenção de obstáculos em todo o ambiente".
Obsidian Sensors - recebeu US$ 1,6 milhão.  A aplicação deve ser feita para construir uma “câmera sUAS térmica dupla de baixo custo que pode ser montada em um cardan de estabilização e depois integrada e executada em sistemas ISR pequenos e compactáveis”.
Graffiti Enterprises - recebeu US$ 1,5 milhão. O dinheiro deve ser usado para “modificar seu link de dados comerciais para o uso do sUAS do DoD, incluindo operação em faixas de frequência restritas, redução no tamanho, peso e potência do hardware e desenvolvimentos de software para melhorar a segurança e a resiliência do link de dados".

Outras empresas de segurança e de aço e mineração também foram contempladas com o recurso. Somadas, as empresas de drones dos EUA ficaram com US$ 13,4 milhões. O restante do dinheiro foi destinado para as outras duas companhias. Quem recebeu o maior montante foi a ArcelorMittal Inc., uma empresa de aço e mineração, que recebeu US$ 56 milhões. 

Por fim, a LeoLabs recebeu o apoio de US$ 15 milhões. A empresa promete usar esse dinheiro para "garantir a viabilidade contínua da capacidade de vigilância espacial por meio da operação e manutenção de uma rede mundial de radares por fases de alta capacidade e alta capacidade". Segundo o DefenseNews, a empresa é a única fornecedora comercial doméstica, capaz de atender os requisitos dessa área.

Via: dronexl
User img

Ana Luiza Pedroso

Ana Luíza é técnica em informática formada pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e graduanda de Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Compõe o quadro de estagiários do Adrenaline e Mundo Conectado desde 2018, publicando notícias. Aprende muito todos os dias sobre o universo de hardware, games e tecnologia.

PIX: TUDO que você PRECISA SABER

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.