Pesquisadores de Harvard criam um novo micro robô inspirado em insetos
Créditos: Kaushik Jayaram/Harvard SEAS

Pesquisadores de Harvard criam um novo micro robô inspirado em insetos

HAMR-JR com quatro pernas tem um corpo com apenas 2,25 centímetros de comprimento e pesa 0,3 gramas

Pesquisadores Harvard deixaram seu pequeno robô Harvard Ambulatory Microrobot (HAMR) ainda menor. A nova geração do micro robô inspirado em insetos como baratas tem um tamanho próximo ao da moeda de um centavo dos Estados Unidos e pode se mover a uma velocidade de 13,9 vezes o comprimento do seu corpo por segundo. Isso faz dele um dos menores e mais rápidos micro robôs até agora. 

04/06/2020 às 09:36
Notícia

Pesquisadores do MIT desenvolvem mãos robóticas capazes de se...

Elas utilizam materiais macios e flexíveis em vez de materiais rígidos tradicionais

Batizado como HAMR-JR, o novo micro robô tem metade do tamanho do seu antecessor – que já aprendeu a andar sobre e no fundo da água. A equipe construiu HAMR-JR, em parte, para testar se o processo de fabricação inspirado em origami usado para construir o HAMR e outros micro robôs, como o RoboBee, poderia ser usado para construir robôs em múltiplas escalas - de pequenos bots como HAMR-JR a grandes robôs industriais. Eles descobriram que eram capazes de manter o projeto bem complexo, mesmo em microescala.

"A parte maravilhosa deste exercício é que não tivemos que mudar nada sobre o design anterior", disse Kaushik Jayaram, primeiro autor do artigo sobre o HAMR-JR. "Provamos que esse processo pode ser aplicado a basicamente qualquer dispositivo em uma variedade de tamanhos".

Os pesquisadores também queriam ver como o tamanho menor do robô afetaria sua velocidade de corrida e outras habilidades. De acordo com eles, o HAMR-JR com quatro pernas tem um corpo com apenas 2,25 centímetros de comprimento e pesa 0,3 gramas. A equipe imitou o movimento de insetos de escala semelhante, então HAMR-JR é capaz de trotar, saltar e mais. Ele também pode virar à esquerda e à direita, e pode trotar para trás.

"A maioria dos robôs nesta escala são muito simples e só demonstram mobilidade básica", disse Jayaram. "Nós mostramos que você não tem que comprometer a destreza ou controle do robô em troca do tamanho menor".

Jayaram e as coautoras Samantha Castellanos, E. Farrell Helbling e Jennifer Shum apresentaram suas descobertas na Conferência Internacional sobre Automação Robótica nesta semana, onde equipes do MIT também apresentaram trabalhos para melhorar a consciência espacial dos robôs macios e a capacidade de pegar objetos delicados.

Fonte: Engadget
User img

Fabio Rosolen

MAVIC AIR 2 - Uma análise de DRONE no PARAÍSO

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.