Pesquisadores atingem 44.2 Tbps através de cabo de fibra óptica padrão

Pesquisadores atingem 44.2 Tbps através de cabo de fibra óptica padrão

Dispositivo chamado microcomb substituiu os lasers tradicionais nos equipamentos

Pesquisadores das universidades australianas de Monash, Swinburne e RMIT conseguiram atingir uma taxa de transferência na incrível velocidade de 44,2 Tbps através das fibras ópticas já existentes. Esse aproveitamento da infraestrutura de dados atual fornece velocidades superiores a 1 milhão de vezes a velocidade média da internet dos usuários domésticos.

19/11/2018 às 16:35
Notícia

Claro e NET são as provedoras de internet mais rápidas no Bra...

Pesquisa mostra que Brasil ainda está muito atrás da média mundial no acesso à internet

Para comparação, a média para usuários dos Estados Unidos é de 50,2 Mbps (megabits por segundo), enquanto no Brasil essa velocidade é de 24,77Mbps. A descoberta abre caminho para atualizações na rede de fibra óptica existente, o que deve reduzir os custos caso fosse necessário implementar uma infraestrutura totalmente nova. 

A pesquisa utilizou um dispositivo óptico chamado de microcomb (micropente de frequência) para substituir os 80 lasers dos equipamentos de telecomunicações atuais usados na internet de fibra. O microcomb é um dispositivo óptico que gera linhas de frequência muito nítidas em um minúsculo chip, e permite que os pesquisadores utilizem não apenas a presença de luz (como é feito com os lasers tradicionais encontrados em equipamentos ópticos) mas a falta da luz também.

O aproveitamento da ausência de luz usado pelos microcombs é chamado de pulsos "escuros" de luz. Embora hoje em dia nenhum usuário precise de velocidades de transmissão da ordem dos 44,2 Tbps alcançados pelos pesquisadores, o avanço no processamento, nas tecnologias de comunicação e na supercomputação deverá utilizar essa nova velocidade futuramente.

Via: Engadget
User img

Mariela Cancelier

Mariela é jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina e gosta de jogos de luta e MOBAs. Foi estagiária do Adrenaline e Mundo Conectado e atualmente é redatora freelancer em ambos os sites.

PIX: TUDO que você PRECISA SABER

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.