DJI consegue vitória contra Autel no round mais recente de sua briga jurídica
Créditos: BestDroneUnderaPound

DJI consegue vitória contra Autel no round mais recente de sua briga jurídica

Empresas estão se processando por patentes e DJI quase perde grande parte do mercado

A Autel e a DJI vêm brigando na justiça dos EUA pelo mesmo motivo que toda empresa de tecnologia acaba brigando: processos contra o uso de patentes. A Autel processa a DJI por diversas tecnologias que ela afirma serem suas e acusa a empresa chinesa de plágio. Mas, nos resultados mais recentes de sua briga jurídica, é a dona do Mavic que acabou saindo numa importante vantagem.

O caso se refere à patente número 9.260.184, da Autel. A patente descreve a maneira que rotores são conectados ao drone e como os "braços" suportando esses rotores se dobram sobre o corpo do drone. Na semana passada, a ITC dos EUA - U.S. International Trade Comission - considerou que a DJI realmente viola essa patente e decidiu por um duro golpe contra a fabricante chinesa de drones: a proibição da importação de todos os drones que violariam a patente em questão. E são muitos:

- Mavic Pro
- Mavic Pro Platinum
- Mavic 2 Pro
- Mavic 2 Zoom
- Mavic Air
- Spark

Se a proibição tivesse sido levada adiante teria deixado a DJI em maus lençóis, principalmente por causa do Mavic 2, seu atual carro chefe no portfólio. Por isso que a empresa levou o caso adiante, para um tribunal de apelos.

18/05/2020 às 15:23
Notícia

Vitória da Autel Robotics em disputa por patente pode resulta...

Drones da DJI podem ser removidos do mercado nos EUA já em julho

Ontem, dia 22, foi decidido que a patente da Autel não foi violada porque, na verdade, se refere a uma tecnologia não patenteável. Não só isso, o tribunal declarou ainda que duas outras patentes da Autel também não podem existir porque se referem a tecnologias não patenteáveis:

- Número 7.979.174, sobre tecnologia de desvio de obstáculos
- Número 10.044.013, sobre o encaixe de baterias no drone

A decisão é muito favorável à DJI, que não pode ser processada por violar patentes que não deveriam existir. A empresa responsável por sua defesa na justiça, Finnegan, fez a seguinte declaração sobre essa decisão mais recente:

Continua após a publicidade
Fonte: DroneDJ
User img

João Gabriel Nogueira

João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline e o Mundo Conectado, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.